Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Dieta: o pão de cada dia

Toda refeição que você faz é como uma parada num posto de gasolina. Só que é preciso antes saber qual é o combustível certo para a sua máquina.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h38 - Publicado em 31 out 1998, 22h00

Xavier Bartaburu

Mesmo se você estiver sentado num sofá, quieto, sem mexer um único dedo, você está gastando energia. Só para se manter em funcionamento, parado, o seu organismo gasta em torno de 1 600 calorias por dia. Ao menor movimento, uma dose extra de combustível torna-se necessária. Só há uma forma de conseguir essa energia – e ela está no prato que você põe na sua mesa. Além de fornecer o combustível para as suas atividades diárias, os alimentos são essenciais para renovar as células, estimular o crescimento e manter as funções vitais do organismo.

O ser humano aprendeu a usar a inteligência para sofisticar a comida que encontra na natureza, inventando cardápios saborosos que nem sempre dão ao corpo o que ele necessita. Com isso, o alimento pode, às vezes, até fazer mal. A fórmula de uma dieta equilibrada admite infinitas variações, desde que dela façam parte os nutrientes fundamentais. Não existem alimentos proibidos para quem é saudável. “Com moderação, nada é ruim”, afirma a nutricionista Mônica Beyruti.

O limite do jejum

O ativista do IRA (Exército Republicano Irlandês) Bobby Sands chamou a atenção do mundo em 1981, quando, aos 27 anos de idade, liderou uma greve de fome na prisão. O governo britânico se recusou a atender suas exigências. Sands morreu depois de 66 dias sem comer. Um ser humano pode sobreviver até 30 dias em jejum sem sofrer danos permanentes à saúde, desde que beba água. Mais do que isso é perigo de vida.

Verde que te quero verde

Na dieta vegetariana, a carne é trocada por outras fontes de proteína.

Os vegetarianos não têm necessariamente uma alimentação nem mais nem menos saudável do que a de quem adora um suculento churrasco. A proteína de origem animal pode ser substituída por leguminosas, como feijão, lentilha, ervilha e soja (abaixo, uma horta). Os primeiros registros de vegetarianismo remontam a mais de 1 000 anos antes de Cristo. A abstinência da carne está ligada a motivos religiosos (os hinduístas são vegetarianos, entre outros) e filosóficos. A intenção de preservar a vida dos animais está sempre presente.

Quem sabe é super

Quando se fala em queimar calorias, um erro está sendo cometido. Na verdade, a caloria já é o produto da queima da comida pelo organismo na digestão.

A tragédia da fome

A falta de comida, quando não mata, causa danos ao corpo e à mente.

A fome provoca milhares de mortes todos os dias, principalmente nas regiões muito pobres e assoladas por secas prolongadas. Um número bem maior de pessoas sofre os efeitos mais lentos, porém devastadores, da subnutrição – a situação em que existe, quase sempre, algo para comer, mas faltam alguns dos nutrientes essenciais. Quando a vítima ainda é criança (na foto, um garoto nordestino), o seu desenvolvimento físico e mental fica prejudicado para a vida toda.

A refeição inteligente

Veja o que você deve comer para garantir uma dieta equilibrada.

1. Caloria pura

A gordura e o açúcar são fontes ricas de calorias. Para produzir energia, são ótimos, mas acumulam-se com facilidade no corpo. Por isso, é bom evitar excessos de doces e de frituras. Um pouquinho de azeite na salada já é suficiente.

Continua após a publicidade

2. Energia total

O principal fornecedor de energia são os carboidratos. É deles que o corpo mais precisa para funcionar. As maiores fontes de carboidratos são o arroz, o pão, a batata e o macarrão. Uma alimentação balanceada precisa ter, pelo menos, 40% de carboidratos.

3. Múltiplas funções

As proteínas podem ser encontradas em qualquer tipo de carne – seja bovina, de frango ou peixe –, em ovos e em leguminosas como o feijão e a soja. São fundamentais na formação de novas células, o que garante a renovação do organismo. As proteínas também ajudam a fortalecer o sistema imunológico e a produzir os hormônios.

4. Alicerces fortes

Reserve uma parte da refeição para o leite e seus derivados, como o queijo e o iogurte. Além de proteínas, os laticínios fornecem cálcio, importante para a manutenção dos ossos, e vitaminas. Como também têm gordura, não devem ser consumidos em excesso.

5. Direto da terra

Extraídos diretamente da natureza, as frutas e os vegetais são os alimentos que contêm mais nutrientes. Eles são ideais para suprir a falta de sais minerais e vitaminas no organismo. Também fornecem carboidratos, além de fibras que ajudam no processo da digestão.

6. Para beber

Refrigerantes são dispensáveis. Água, sim, é essencial. Uma pessoa deve beber pelo menos 1 litro de água por dia para manter o bom funcionamento do corpo. Os sucos (desde que sem açúcar) são uma excelente opção, já que incluem água e frutas.

Continua após a publicidade

Publicidade