Clique e assine a partir de 8,90/mês

Estudo sugere que a língua humana é capaz de detectar odores

Isso não significa que você pode estender a língua para cheirar, mas a descoberta indica novos caminhos para a percepção do sabor — e até no combate à obesidade

Por Maria Clara Rossini - Atualizado em 24 abr 2019, 17h30 - Publicado em 24 abr 2019, 17h25

O que a sua língua sente quando prova um chocolate? Por incrível que pareça, além do gosto, ela também é capaz de cheirar o doce. Uma nova pesquisa foi capaz de encontrar receptores olfativos na língua, junto com as células que detectam o gosto. Esses são os mesmos sensores que estão no nariz e são responsáveis por identificar odores.

O sabor da comida vem de uma combinação entre paladar e olfato. Já tentou comer algum alimento com o nariz tampado? O sabor vai parecer bem mais sem graça do que o normal. Mas isso a ciência já sabia. O que os pesquisadores descobriram é que essa relação é ainda mais estreita. A interação entre gosto e odor se inicia na língua e não no cérebro, como se acreditava.

Os sistemas olfativo e do paladar sempre foram considerados independentes. O que fez o pesquisador Mehmet Ozdener, do Centro Monell (EUA), questionar essa concepção foi uma pergunta de uma criança de 12 anos: ela queria saber se as cobras estendiam a língua para sentir cheiros – e a resposta é positiva.

Os pesquisadores extraíram células da língua humana e descobriram que em uma única célula podem existir receptores tanto do olfato quanto do paladar. Além disso, os receptores olfativos funcionam de forma similar tanto na língua quanto no nariz.

Continua após a publicidade

E os resultados batem com outros experimentos. Em entrevista ao Guardian, o professor Charles Spence, da Universidade de Oxford, disse que em estudos anteriores foi constatado que as pessoas conseguem diferenciar uma comida de outra mesmo quando sua única mudança é o cheiro sem usar o nariz.

Ozdener diz que a nova descoberta pode ajudar a desenvolver métodos para moldar o sabor da comida. Isso pode contribuir para a diminuição do uso de sal, açúcar e gordura adicionando um odor diferente que agrade o paladar. Ele também menciona o combate a doenças relacionadas à dieta, como diabetes e obesidade.

Além de abrir a oportunidade para o estudo da interação entre paladar e odor, a pesquisa também pode ajudar a entender de que maneira o sistema olfativo detecta o cheiro. Os cientistas ainda não sabem quais moléculas são capazes de ativar os tipos diferentes de receptores responsáveis pelo olfato. Entender como eles funcionam na língua é um primeiro passo para compreender o sistema olfativo em toda a sua complexidade.

Publicidade