Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Existe almoço grátis. Mas é um lixo

Os freegans combatem o capitalismo com um exemplo que pode ser desagradável para a maioria: para não pagar e eliminar o desperdício, comem o que os outros jogaram fora.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 19h04 - Publicado em 31 dez 2007, 22h00

Texto Bianca Nunes

Toda sexta-feira, um grupo de paulistas da região do ABC se junta para preparar um grande banquete. Por volta das 11 horas, eles vão até a feira mais próxima e esperam as barracas serem desmontadas. Quando os feirantes despejam no lixo os últimos alimentos que não foram vendidos, o grupo ataca vorazmente a xepa. É hora de escolher os ingredientes para um almoço freegan – uma refeição na qual absolutamente nada pode ser comprado.

A palavra freegan é uma mistura de free (“livre ”, “grátis ”, em inglês) com vegan (vegetarianos que não comem nenhum derivado animal). Apesar do nome, alguns freegans comem carne e laticínios. O importante mesmo é combater o desperdício e se recusar, sempre que for possível, a pagar por qualquer coisa. Estaríamos diante do Movimento dos Sovinas Radicais? Não, nas palavras dos adeptos da coisa: “Freeganismo é uma perspectiva que age contra o sistema capitalista, denunciando esse modo de vida tóxico ambientalmente e socialmente”, diz o jardineiro Eduardo Pedrini, freegan integrante do grupo Erva Daninha, que promove o almoço descrito acima. Os freegans se declaram anarquistas e repudiam qualquer manifestação de poder – não há hierarquia em seus grupos.

Além de recolher o alimento jogado fora por restaurantes e mercados, eles pegam roupas e mobília descartadas pelos consumidores capitalistas. Ao fazer isso, diz um representante do movimento na Inglaterra que se identifica apenas por J.D., a pessoa pode atingir a felicidade espiritual. Isso sem falar na satisfação material: “Eu mergulho na lixeira todos os dias. Sempre achei coisas ótimas e não me lembro de uma vez que tenha passado fome nos últimos 6 anos.”

 

Mandamentos dos freegans

Desperdício é proibido. Ter emprego e pagar aluguel também

1. Faça hortas e jardins comunitários.

2. Não utilize carros sempre que possível.

3. Não desperdice.

Continua após a publicidade

4. Recupere o que é desperdiçado.

5. Não pague aluguel: more de graça em imóveis abandonados e malcuidados que você mesmo vai recuperar.

6. Não tenha um emprego. Trabalhe apenas para você e para sua família.

 

Dicas para o freegan calouro

Mergulhar no lixo também tem suas regras de conduta.São elas

1. Vá muito cedo ou muito tarde. Freegans não gostam de platéia (e vice-versa).

2. Seja discreto e silencioso.E limpo, ainda que esteja no meio do lixo.

3. Ir à missão bêbado pode resultar em achados espetaculares e em pelo menos uma noite na cadeia.

4. É mais fácil conseguir perdão do que permissão.

 

Continua após a publicidade

Publicidade
Saúde
Existe almoço grátis. Mas é um lixo
Os freegans combatem o capitalismo com um exemplo que pode ser desagradável para a maioria: para não pagar e eliminar o desperdício, comem o que os outros jogaram fora.

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade