Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Macacos que fazem dieta constante vivem três anos a mais

O segredo está na restrição de calorias. Em termos humanos, eles viveriam 9 anos mais.

Por Giselle Hirata Atualizado em 18 jan 2017, 16h22 - Publicado em 18 jan 2017, 15h13

Quer viver mais? Então, esqueça a pizza, o hambúrguer, o pudim, o cheesecake – ou qualquer comida mesmo. Uma pesquisa, realizada no National Institute on Aging (NIA), em Baltimore (EUA), descobriu que viver em dieta pode trazer uma vida mais longa.

O estudo feito com macacos mostrou que a restrição de calorias fez com que eles vivessem três anos a mais que do normal – o que se traduziria em cerca de nove anos para os humanos.

Esse tipo de dieta restritiva, claro, não é para todos. O objetivo dos pesquisadores é entender os mecanismos da restrição calórica e como isso pode se transformar em medicamentos anti-envelhecimento e melhorar a saúde humana.

Muitas pessoas já aderiram a alimentação com ‘baixa caloria’, restringindo-se a ingerir entre 1.500 a 1.800 kcal por dia – sendo que a recomendação gira em torno de 2.000 e 2.500 kcal. Experiências paralelas ao do grupo da NIA têm obtido resultados parecidos e apontam evidências de que esses indivíduos têm melhore níveis de colesterol e glicose no sangue.

Os animais que fizeram dieta viveram mais tempo – os machos estenderam a vida por cerca de dois anos, enquanto as fêmeas chegaram a seis anos. A taxa de doenças cardíacas e câncer também foi menor.

E aí, vai encararia fechar a boca de vez?

Continua após a publicidade

Publicidade