Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Medicina esportiva: Se correr o bicho pega

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h39 - Publicado em 9 dez 2004, 22h00

Fabíola Ietto

Ver um jogador de futebol morrendo levou boa parte dos brasileiros para uma consulta no cardiologista. E de lá direto para o teste ergométrico. O que eles não sabem é que morre mais gente correndo em esteiras que fazendo exercícios físicos. Estudos americanos mostram que para cada 10 mil testes realizados ocorre uma morte. Para o mesmo número de esportistas, o índice de morte em atividade é de 0,075.

A explicação está na dinâmica do exame, explica Tales de Carvalho, especialista em medicina esportiva da Universidade do Estado de Santa Catarina. Para enxergar problemas cardiovasculares, o teste ergométrico leva o corpo ao limite. Já o exercício é monitorado pelo bem-estar do atleta. É o fôlego (ou a falta dele) o termômetro para a interrupção da atividade.

Se você planeja usar esses dados para convencer a patroa que não deve fazer esportes, esqueça. Também existem números provando que morre mais gente dormindo do que se exercitando – talvez ela mande você correr à noite. “É melhor uma atividade do que nenhuma. E o teste ergométrico é pré-requisito para qualquer esportista com mais de 35 anos”, diz Tales. Ou seja: mais perigoso que exercícios e testes físicos é fazer nada no sofá.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)