Clique e assine a partir de 8,90/mês

O câncer em alta tensão

Cresce a cada dia o número de pesquisas que sugerem a conclusão de que as pessoas que vivem perto de fontes de alta tensão parecem ter maior propensão ao câncer.

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h37 - Publicado em 29 fev 1992, 22h00

Uma das maiores pesquisas epidemiológicas já realizadas começou, nos Estados Unidos, a rever a vida profissional de 130000 trabalhadores que, de uma maneira ou de outra, se expõem à radiação emitida por fios ou equipamentos elétricos (SUPERINTERESSANTE ano 4, número 9). Um dos dados que se pretende colher, até 1993, é o tempo que cada funcionário fica sob influência direta da radiação; assim, se poderia verificar se a incidência de câncer é maior entre os mais expostos. Como esse tipo de radiação é criado pela inversão da corrente elétrica 50 ou 60 vezes por segundo, seja em transformadores, bobinas ou fios comuns, ela transporta uma quantidade muito pequena de energia — milhões de vezes menos intensa do que a energia necessária para danificar moléculas orgânicas. Não se sabe, portanto, como ela poderia causar mal. No entanto, pessoas que vivem perto de fontes de alta tensão parecem ter maior propensão ao câncer. Cresce a cada dia o número de pesquisas que sugerem essa conclusão. Por ser mais amplo que os anteriores, o atual estudo pode pôr fim ao debate.

Publicidade