Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Os pecados maternos

Epidemiologistas da Universidade de Southampton, na Inglaterra, afirmam que a longevidade e a saúde de uma pessoa pode ser influenciada pela dieta da mãe na gravidez.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h37 - Publicado em 30 set 1992, 22h00

Beba moderadamente e fique longe de comidas gordurosas – quem segue esse conselho na esperança de garantir uma vida longa deve saber que, talvez, não baste o esforço próprio. Segundo epidemiologistas da Universidade Southampton, Inglaterra, a longevidade de uma pessoa pode ser influenciada pela dieta da mãe. Eles vasculharam os arquivos de quatro maternidades americanas, atrás de dados a respeito de bebês nascidos na década de 30. Depois, investigaram o que havia acontecido com essas pessoas. Assim, descobriram que os hipertensos foram fetos que se desenvolveram envoltos em mais placenta do que a média.

Sabe-se que, no útero de mulheres mal nutridas, o feto tende a formar uma quantidade maior de placenta, na suposta tentativa de assegurar nutriente para si. Desse modo, os epidemiologistas elaboraram uma teoria: o feto criado em um ambiente com pouca comida imagina o mundo fora do mundo feito um SPA de emagrecimento. Seu organismo não aprenderia a lidar com nutrientes ricos em calorias, como o colesterol que se acumularia nos vasos, aumentando a pressão sanguínea.

Publicidade