GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A vida como ela é (atrás das grades)

Veja como deveriam ser as condições das prisões para bebês (e quais as situações reais).

Dormitório coletivo mãe/bebê com, no máximo, 4 presas por cela

Nas cadeias públicas, delegacias de polícia e presídios mistos, esses dormitórios não existem e os bebês ficam misturados com a população geral. A superlotação aí é de 66%. Já a média do sistema carcerário é de 4,3 lactantes por cela.

Dormitório de gestantes com, no máximo, 2,5 gestantes cada

Para as 350 grávidas presas no Brasil hoje, existem apenas 50 dormitórios próprios. Cadeias públicas e penitenciárias mistas sequer têm tais instalações.

Dormitório para crianças maiores com, no máximo, 6 cada

Esses dormitórios quase não existem: para as 1.925 crianças do sistema carcerário brasileiro, há apenas 49 quartos.

Área descoberta com playground para banho de sol

Existem pouquíssimos, como os das penitenciárias de Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte. Mas 16 penitenciárias com playgrounds estão em construção pelo País.

Um banheiro e um fraldário para cada dormitório

Ocorre em alguns estabelecimentos, mas são exceção.

Sala de terapia ocupacional e fisioterapia pediátrica de, no mínimo, 15 metros quadrados e Sala multiprofissional de saúde de, no mínimo, 9 metros quadrados

O Ministério da Justiça não tem dados sobre esses locais. A maioria dos presídios visitados não os possuía.

Unidades sanitárias infantis com um vaso sanitário e um lavatório para cada 6 crianças

Esses sanitários infantis não existem.

Leia mais:
Por que nossa política é tão burra
Botem as mulheres no lugar. No lugar em que se tomam as decisões