GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Atum “mais caro do ano” é arrematado por R$ 470 mil no Japão

O quilo do exemplar custou cerca de R$ 2.350, mas ficou longe do recorde histórico de 2013

Todo início de ano, no mercado Tsujiki, em Tóquio, rola o leilão do atum mais caro da temporada. Já virou tradição. Esse ano, o exemplar mais valioso da variedade bluefin (a mais apreciada pelos amantes de sushis e sashimis) foi arrematado por cerca de US$ 118 mil (uns R$ 470 mil).

O comprador dos últimos cinco anos é sempre o mesmo: Kiyoshi Kimura, dono da rede Sushi Zanmai. Depois de uma queda no valor máximo pago nos últimos dois anos, a cotação voltou a subir.

Acompanhe a evolução do preço por quilo desde 2010:

2010 – US$ 754 por kg

2011 – US$ 1.158 por kg 

2012 – US$ 4.833 por kg (ano em que Kimura entrou nos leilões)

2013 – US$ 7.928 por kg (Recorde histórico: US$ 1,76 milhão no total) 

2014 – US$ 265 por kg 

2015 – US$ 206 por kg

2016 – US$ 590 por kg

O surpreendente é que, ano após ano arrematando o peixe mais caro, Kimura toma um prejuízo pesado a cada leilão. Na verdade, ele usa esse grande e caro peixe apenas para valorizar a imagem de sua rede de restaurantes. Ou seja, marketing nu e cru, já que o lance milionário faz o Sushi Zanmai virar manchete no Japão e no mundo todo (vide este post e essa edição da SUPER). Essa visibilidade ajuda a fisgar mais consumidores que no longo prazo “pagam” o investimento extravagante.

Na ponta do lápis mesmo, o peixe mais caro da história, que Kimura serviu em seu restaurante ali no próprio mercado Tsujiki em janeiro de 2013, gerou prejuízo de US$ 1,68 milhão. O peixe custou US$ 1,76 milhão e a venda da carne gerou”só” US$ 75 mil. Para empatar a despesa, cada sushi teria que custar US$ 119.

Leia mais:
Atum nu e cru
A fábrica de atum