Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Como funciona o vôlei sentado

O esporte é uma junção do vôlei em pé com um jogo alemão chamado "sitzball"

Por Pâmela Carbonari Atualizado em 4 nov 2016, 19h19 - Publicado em 13 set 2016, 20h11

COMO FUNCIONAM AS PARALIMPÍADAS
CONHEÇA OS OUTROS ESPORTES |

O vôlei sentado é uma mistura de esportes, uma junção do vôlei em pé com um esporte alemão chamado “sitzball”. Quando a modalidade estreou nas Olimpíadas de Arnhem, na Holanda, em 1980, ele dividia espaço com o vôlei em pé, mas em Atenas ganhou notoriedade e passou a ser o único vôlei disputado nas Paralimpíadas. Hoje, o esporte é praticado em mais de 50 países.

Os jogadores são pessoas com lesões na coluna, paralisia cerebral, amputações ou outros tipos de dificuldades locomotoras. Cada time tem 6 atletas que, como o próprio nome entrega, jogam sentados. Eles são divididos por uma rede baixa de 1,15 metros de altura na categoria masculina e 1,05 na feminina. As regras se assemelham muito ao vôlei convencional, mas a norma principal aqui é que os esportistas não podem bater na bola sem estar em contato com o chão – salvo se estiverem se deslocando.

Os jogadores são divididos em dois grupos conforme seu grau de limitação física. Aqueles que são portadores de deficiências que têm pouco impacto na movimentação, como pequenas amputações e problemas nas articulações, são classificados como MD (sigla para minimaly disabled). E os atletas com problemas locomotores mais graves ou amputações de membros pertencem ao grupo D (sigla para disabled).

A primeira participação da seleção brasileira de vôlei sentado aconteceu em 2008, nos Jogos de Pequim e, nas últimas Paralimpíadas, ficou em 5º lugar tanto na categoria feminina quanto masculina.

Continua após a publicidade

Publicidade