Clique e assine a partir de 8,90/mês

Coronavírus: como fazer doações para ajudar contra a pandemia

Dá para contribuir mesmo quase sem sair de casa: saiba onde (e como) doar sangue, mantimentos e comida durante a quarentena.

Por Carolina Fioratti - Atualizado em 1 abr 2020, 12h08 - Publicado em 31 mar 2020, 17h05

O novo coronavírus atingiu o número de 800 mil infectados e deixou mais de 40 mil mortos pelo mundo. Diante da situação, e sem poder sair de casa, muitas pessoas se sentem incapazes de ajudar. 

Mas há formas de contribuir para a sociedade mesmo em épocas de pandemia. E vale qualquer ajuda para quem precisa: doações de sangue, cestas básicas e auxílio financeiro são algumas das medidas que você pode tomar para ajudar o próximo. Veja como:

No Brasil 

Fundo Emergencial para a Saúde

Ao doar para o fundo, você ajuda a Fundação Oswaldo Cruz, Santa Casa de São Paulo, Hospital das Clínicas e a ONG Comunitas. O objetivo é fortalecer o sistema público de saúde, para que toda a população receba um atendimento de qualidade. Para ajudar, clique aqui.

Central Única das Favelas (CUFA)

Continua após a publicidade

Muitos acreditam que os principais prejudicados no momento são os moradores de comunidades, que tiveram que parar suas atividades e, em muitos casos, não possuem reservas de emergência. Celso de Athayde, fundador da CUFA, conta que a organização abrange 650 favelas e que, nos últimos dias, estão recebendo bastante apoio. Nessa semana, conseguiram distribuir 30 toneladas de picanha em São Paulo, em parceria com a Friboi, e hoje (31), junto com a JBS e Natura, iriam doar 800 mil kits de higiene.

“Esse não é o momento de buscar heróis, mas juntar todos os seguimentos da sociedade e ajudar aqueles que sofrem historicamente os impactos da desigualdade”, defende. Celso ressalta que grande parte dos moradores estão, agora, trabalhando nos supermercados, postos de gasolina e até mesmo nas enfermarias dos hospitais. Ele acredita que os próximos dias tendem a ser ainda melhores em questão de doações. “Aumenta a tensão, aumenta a solidariedade”.

Para saber como contribuir, basta ligar para o telefone (21) 2489-7927. Outras organizações como a G10 das Favelas e a Unas Heliópolis ((11) 2272-0140) também estão recebendo doações. 

Unicef no Brasil

O Unicef está fazendo a ponte entre empresas que querem doar itens de saúde e higiene, e comunidades vulneráveis espalhadas por todo o país. Além disso, o órgão não mede esforços quando o assunto é a disseminação de informações confiáveis para a população. Todo o trabalho do Unicef depende das doações de empresas e pessoas físicas, então, caso queira ajudar, acesse esse link aqui ou ligue 0800 605 2020.

Continua após a publicidade

Hospital das Clínicas

O hospital, que pertence à Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), também está recebendo doações financeiras. O objetivo é conseguir comprar equipamentos de segurança suficientes para proteger os profissionais da saúde. A campanha recebeu o nome #VemPraGuerra, e você pode ver mais detalhes aqui.

Como ajudar outros países 

O Brasil está longe de ser um dos países mais afetados pela Covid-19. Há lugares com cenários ainda mais críticos – e que também é possível ajudar.

GoFundMe

Essa vaquinha online tem com o objetivo de juntar US$ 225 mil. O dinheiro será revertido para pessoas afetadas pela doença e também para organizações de saúde que, além de tratar as pessoas, seguem pesquisando a cura para a infecção. Você pode doar clicando aqui.

Continua após a publicidade

Fundo de Ajuda ao Coronavírus

Lançado pela Global Giving, o fundo pretende alcançar os US$ 5 milhões. O objetivo é conseguir enviar médicos, enfermeiros, produtos de higiene e de alimentação à comunidades remotas, que estão mais vulneráveis. Aqui você consegue ter mais informações para a doação. 

Direct Relief

A organização, junto a autoridades de saúde pública, coordena ações de doação de equipamentos de saúde por todo o mundo. Apenas na China, foram mais de 800 mil máscaras e cerca de 400 mil luvas. A América do Sul, vale dizer, também recebe ajuda. Para contribuir, clique aqui

Doações de sangue

Uma forma de ajudar é disponibilizando seu tempo para doar sangue. Mas ele não irá para quem estiver hospitalizado pelo coronavírus. Pelo contrário: é para pacientes em tratamentos diversos. O problema é que, com a pandemia, as pessoas deixaram de doar devido às medidas de distanciamento social – diminuindo os estoques.

Continua após a publicidade

Caso esteja com receio de sair de casa, saiba que os hemocentros respeitam as medidas impostas pelo Ministério da Saúde. Além de manter o ambiente limpo, com álcool em gel disponível e cadeiras posicionadas para evitar aglomerações, os postos também estão realizando atendimento com agendamento.

É o caso da Pró-Sangue (São Paulo), Hemorio (Rio de Janeiro) e Hemoce (Ceará), hemocentros dos estados mais afetados pela Covid-19. A Pró-Sangue, por exemplo, está com os estoques de sangues do tipo O-, A- e B- em estado crítico – mas qualquer tipo sanguíneo é bem-vindo e necessário. Você pode agendar sua doação clicando aqui.

As doações no Hemorio caíram 35% devido ao surto de coronavírus. Caso queira realizar agendamento para lá, basta ligar para 0800 282 20211-030. O hemocentro carioca deve começar nesta quarta-feira (1) a realizar coletas dentro de condomínios da capital. Vale ficar de olho para ver se a ação chegará onde você mora.

Enquanto isso, no Ceará, houve queda de 30% das doações desde que surgiu o primeiro caso da doença no estado. Saiba aqui como ajudar.

Faça sua parte

Além de todas as formas de ajudar, há uma ainda mais importante: respeitar as medidas do Ministério da Saúde. Caso você não seja idoso, é permitido sair para realizar atividades básicas, como ir ao mercado, farmácia ou mesmo visitar um hemocentro – mas não se esqueça de ficar a um metro de distância de outras pessoas. No mais, fique em casa.

Continua após a publicidade

É preciso também manter a higienização das mãos com água e sabão. O álcool em gel é importante, mas seu uso é mais recomendado para quando não houver uma pia por perto. 

Publicidade