GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Cratera gigante engole ruas inteiras no Japão; assista

A causa pode ter sido um erro nas obras do metrô - igual ao que aconteceu em São Paulo, nove anos atrás

Na última terça (8), o dia amanheceu tranquilo em Fukuota, cidade no sudoeste do Japão. Mas a tranquilidade durou pouco: na parte da tarde, do nada, o solo cedeu em uma das ruas do centro. Em poucas horas, a via inteira se transformou em um buraco de 127 metros de largura por 30 metros de comprimento, e de 15 metros de profundidade.

A cratera deixou 170 casas sem energia e com problemas de abastecimento de gás, fez com que cinco das ruas mais importantes da cidade fossem fechadas pelas autoridades, que temem mais desmoronamentos. Por causa desse perigo, a região também foi evacuada.

LEIA: Quais foram as piores tragédias já ocorridas no metrô?

Felizmente, ninguém ficou ferido. Mas fica a pergunta: que diabos aconteceu em Fukuota? Aliens? Experimentos secretos do governo? Marketing de uma nova série de ação? Nada disso. Uma das explicações mais aceitas é de que o clima causou o colapso do chão: quando o solo é formado por pequenos sedimentos rochosos, como era o caso por ali, a chuva pode entrar por pequenas frestas no asfalto e acabar, literalmente, dissolvendo o chão.

Outra hipótese, que foi a divulgada pelas autoridades locais, é que teria ocorrido um erro ainda não especificado em uma obra de metrô próxima – uma linha que teria 1,4 km quando pronta, mas que acabou desmoronando.

LEIA: Por que os acidentes acontecem?

Foi exatamente isso que aconteceu com as obras da linha 4 do metrô de São Paulo, em janeiro de 2007. Você deve se lembrar: na época, o buraco de acesso às obras desabou e se transformou em uma cratera de 80 metros de diâmetro, que engoliu diversas casas, alguns carros e até um micro-ônibus estação desmoronou. O acidente, que matou sete pessoas, é o maior da história das obras do metrô de São Paulo.

Assista ao momento da abertura da cratera no Japão: