GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Este artista romeno fotografa o interior de instrumentos. Veja imagens

Quem diria que um violino por dentro pode parecer um templo iluminado?

Até chegar aos seus ouvidos, o som percorre caminhos complexos no interior de instrumentos musicais. É graças às caixas de ressonância, parte oca de violões, violinos ou violoncelos, por exemplo, que as vibrações captadas pelas cordas se transformam em um barulho agradável – e ganham intensidade suficiente para serem ouvidas por pessoas em uma sala.

Pelas lentes de Adrian Borda, artista e fotógrafo que vive em Reghin, na Romênia, essa área vital dos instrumentos ganhou status de paisagem. Vistos por dentro, o interior vazio parece emular salões suntuosos: a entrada de ar iluminada no topo assume ares de claraboias e as veias das madeiras lembram uma espécie de revestimento antigo, pouco frequentado e empoeirado pela ação do tempo.

Essa aparência de templo abandonado que você poderá explorar melhor nas fotos abaixo é fruto de um trabalhado jogo de luz, e foi conseguida pela combinação de algumas técnicas. Segundo Borda, as fotos foram flagradas por duas câmeras diferentes da Sony, dos modelos A7 e NEX-6, combinadas como uma lente olho de peixe 8 mm.

 (Adrian Borda/Reprodução)

Borda teve a sorte de contar com um amigo luthier, que tinha aberto um contrabaixo de orquestra para fazer alguns reparos. Aproveitando sua viagem até a cidade de Amiens, na França, ele garantiu o clique. Após fechar a câmera no interior de um violoncelo “da época de Napoleão”, como o próprio autor descreveu, ele produziu a imagem que você vê abaixo.

 (Adrian Borda/Reprodução)

Além da parafernália de fotógrafo, Borda usou também um celular. De modo remoto, ele podia, assim, acompanhar a imagem do interior da tela e autorizar o disparo da câmera. Em sua página do Deviant Art, o autor revela que sua inspiração veio de uma campanha impressa feita pela orquestra Filarmônica de Berlim, que você pode ver neste link.

Já a foto abaixo, que se assemelha muito a um corredor assombrado, é na verdade o interior de um saxofone. O princípio foi mais ou menos o mesmo: luz para garantir o contraste e destacar as aberturas de passagem de ar do instrumento.

 (Adrian Borda/Reprodução)

Você pode prestigiar outros trabalhos do autor dessas imagens em sua página no Deviant Art ou em seu site oficial.