Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

John McAfee: o anti-herói do antivírus

Saiba como o programador, que morreu na última quarta (23), envolveu-se, anos atrás, em uma trama com drogas, mortes e fuga da polícia.

Por Da Redação Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 25 jun 2021, 17h34 - Publicado em 24 jun 2021, 18h36

Na última quarta (23), o programador e empresário John McAfee, inventor do antivírus que leva o seu nome, morreu aos 75 anos em Barcelona, na Espanha.

McAfee foi encontrado morto em uma cela de prisão, onde estava desde outubro de 2020. Motivo: ele havia sido detido preventivamente, acusado de evasão fiscal (calote nos impostos), e aguardava extradição para os EUA.

Nascido no Reino Unido, John estudou matemática e trabalhou como programador na Nasa no final dos anos 1960. Além da agência espacial, ele passou também por empresas como a Xerox (sim, a da fotocopiadora) e a Lockheed, do setor aeroespacial; nesta última, ele desenvolveu softwares antivírus, tornando-se um dos pioneiros na área.

Em 1987, McAfee criou o software que o tornou famoso. Primeiro, disponibilizou-o de graça para usuários; depois, passou a comercializar para outras empresas. Nos anos 1990, já milionário, John se afastou da McAfee Associates e passou a dedicar a outras atividades, de coisas leves, como livros de yoga e a invenção de um novo esporte (o aerotrekking), a outras nem tanto, como tentativas frustradas de concorrer à presidência dos EUA e problemas com a polícia.

Em 2013, a Super publicou uma reportagem em quadrinhos sobre um episódio em particular da vida de McAfee. Em 2008, ele saiu dos EUA e se instalou em Belize, no Caribe. Lá, tornou-se uma pessoa paranoica: ele dizia estar sendo espionado, então construiu um bunker e contratou milícias para se proteger.

Continua após a publicidade

Não para por aí. Nessa época, McAfee andava armado, e se envolveu em uma trama com drogas, prostitutas e mortes. Confira na sequência de imagens abaixo (para ampliá-las, basta clicar nelas):

Clique nas imagens para ampliá-las.
(Superinteressante/Superinteressante)
Ilustração de uma página de HQ.
(Olavo Costa/Tony Neto/Paula Bustamante/Superinteressante)
Ilustração de uma página de HQ.
(Olavo Costa/Tony Neto/Paula Bustamante/Superinteressante)

Ilustração de uma página de HQ.

Continua após a publicidade
Ilustração de uma página de HQ.
(Olavo Costa/Tony Neto/Paula Bustamante/Superinteressante)
Ilustração de uma página de HQ.
(Olavo Costa/Tony Neto/Paula Bustamante/Superinteressante)

Ilustração de uma página de HQ.

A reportagem foi escrita por Pieter Zalis e editada por Felipe van Deursen. A arte ficou por conta de Olavo Costa (ilustração), Tony Neto (cor) e Paula Bustamante (design). Os fatos, falas e cenários descritos foram feitos com base em entrevistas com os personagens – à Super ou a veículos internacionais. Havia também muitas informações no blog pessoal de McAfee, onde ele não cansava de brigar com Belize, com críticas ao governo do país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.