Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

A evolução do noise canceling

Fones Sony WF-1000XM4 usam seis microfones, sensor ósseo e novo processador de áudio para anular ruídos externos – com um nível inédito de eficácia.

Por Bruno Garattoni Atualizado em 3 ago 2021, 15h23 - Publicado em 15 jul 2021, 10h33
Foto dos fones Sony WF-1000XM4 em um fundo amarelo, com detalhes para o interior do fone de ouvido e a caixinha.
Sony/Montagem sobre reprodução

A tecnologia noise canceling, em que o fone de ouvido capta os sons ambientes e produz uma onda sonora contrária para anulá-los, costuma funcionar melhor em fones grandes, que cobrem toda a orelha. Mas o WF-1000XM4 (US$ 280) é o primeiro modelo pequeno, intra-auricular, com redução de ruído comparável à dos fones maiores.

Ele usa várias armas para chegar lá, começando pelas ponteiras: são feitas de espuma (não de silicone, como as comuns), e por isso vedam melhor o canal auditivo. Também tem seis microfones, três em cada fone, para captar os ruídos externos. Eles são processados por um novo chip, o V1, que faz uma análise mais detalhada do áudio, e por isso consegue reduzir até barulhos aleatórios e inconstantes (como pessoas falando), geralmente difíceis de combater.

Já quando você fala, o XM4 capta as vibrações do seu crânio e usa essa informação para identificar e isolar a sua voz, e aí apaga todo o resto – evitando que entre ruído nas suas videochamadas e ligações telefônicas. Os fones também são compatíveis com o modo de transmissão LDAC, que trabalha com taxa de bits de até 990 Kbps (é o dobro do modo aptX e o triplo do modo SBC, os mais comuns em fones Bluetooth) e oferece qualidade de áudio sensivelmente melhor.

Continua após a publicidade

Publicidade