GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A nova face do sétimo planeta

Foto do Telescópio Espacial Hubble mostra a colorida atmosfera de Urano.

Quando a sonda americana Voyager 2 passou por Urano, há dez anos, mostrou o gigantesco planeta como uma bola de bilhar brilhante e azulada. Agora, o Telescópio Espacial Hubble viu que nem tudo é tão lisinho assim. Fotografada em infravermelho, a atmosfera – uma mistura de hidrogênio, metano e amoníaco – é dividida em várias camadas. A foto do Hubble mostra também quatro dos menores satélites de Urano. O diâmetro deles é de, no máximo, 150 quilômetros, 23 vezes menor do que o da Lua, satélite da Terra. Urano tem outras curiosidades: é o único planeta do sistema solar com o eixo de rotação deitado. Enquanto ele completa sua órbita de 84 anos em torno do Sol, os pólos norte e sul recebem alternadamente os raios solares de chapa. É diferente do que acontece na Terra, em que o equador, e não os pólos, é atingido em cheio pelo Sol. Isso quer dizer que, a cada 42 anos, um dos pólos uranianos entra num escuro inverno e o outro, num brilhante verão. É claro que a temperatura lá não é nada tropical: a 2,9 bilhões de quilômetros do Sol, o sétimo planeta do sistema solar recebe uma luz 400 vezes mais fraca do que a que atinge a Terra.

Cada cor indica uma camada de gases

A foto em infravermelho mostra a estrutura da atmosfera de Urano, seus anéis e quatro de seus quinze satélites.

A área azul é a camada interna da atmosfera, bem mais clara.

A região amarela é uma faixa intermediária, mais densa e nebulosa.

A lâmina avermelhada é a última camada de gases, mais alta e muito fina, só perceptível na borda do planeta.

Os anéis, que à luz visível são negros como carvão, aqui aparecem brilhantes.