GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Avião solar dá a volta ao mundo – e você pode assistir ao vivo

Aeronave foi a primeira a atravessar oceano sem usar combustível

A primeira volta ao mundo com um avião sem combustível, movido unicamente a energia solar. É esse o objetivo que os criadores da aeronave Solar Impulse 2 estão cada vez mais perto de alcançar.

O avião começou hoje a segunda metade da sua jornada, decolando de São Francisco pela manhã e indo pousar em Phoenix, no estado americano do Arizona, às 4h30 de amanhã. É possível acompanhar os voos ao vivo pelo Youtube, conferindo o processo de decolagem, o trajeto planejado e os bate papos entre o piloto e a sala de controle. Você pode assistir abaixo e acompanhar o canal para ver voos futuros:

 

 

A viagem começou em março de 2015, em Abu Dhabi. Seguiu na direção do Oriente, parando em vários países: Omã, Índia, Myanmar, China e Japão. A partir daí, surgiu o primeiro grande desafio: nunca antes um avião sem combustível havia atravessado um oceano.

LEIAAvião a energia solar

O Solar Impulse voou do Japão até o Havaí, por 5 dias e 5 noites consecutivas, superando todos os limites das aeronaves solares até o momento. Mas foi um grande esforço para o equipamento, e as baterias foram danificadas pelo excesso de calor. Isso aconteceu em junho – e o conserto do avião só ficou pronto em agosto.

O problema é que, nessa data, o verão no Hemisfério Norte já estaria chegando ao fim. Com isso, os dias ficam mais curtos e há menos luz solar disponível para carregar o avião. Aí a equipe decidiu adiar a viagem até 2016 e só voltou a voar em 21 de abril deste ano, quando o avião finalmente saiu do Havaí e pousou na região do Vale do Silício.

A partir de Phoenix, o Solar Impulse começa a dar sua segunda meia-volta na terra, que vai terminar de novo em Abu Dhabi. Para chegar lá, ele precisa repetir o feito e cruzar mais um oceano, dessa vez o Atlântico, indo de Nova Iorque até a Europa ou o norte africano.

O avião tem 72 metros de envergadura e 2,3 toneladas de peso. O período máximo que ele viajou sem pousar foram 118 horas, a uma velocidade média de 75 km/h – mais lento que um carro na rodovia. Ele só tem capacidade para um piloto que é, atualmente, o CEO da Solar Impulse, André Borschberg. Comandar essa nave é um grande desafio físico – o cockpit não conta nem com pressurização nem aquecimento. 

O projeto foi idealizado pelo suíço Bertrand Piccard, o primeiro a dar a volta ao mundo de balão em 1999. Até o itinerário foi inspirado pela aventura de Piccard. Só que dessa vez, o voo é feito por um avião de quatro motores e 17 mil células solares gerando energia.

LEIA TAMBÉM:
Avião a energia solar voa por 14 dias sem parar e entra para o Guiness Book
Conheça o avião do futuro que irá decolar na vertical
Painéis solares podem gerar energia com a água da chuva