GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Fundador do Google tem empresa secreta de carros voadores

Um dos criadores do buscador mais famoso da internet investiu mais de 100 milhões em aviões individuais para o "dia a dia"

Várias empresas estão correndo para começar a vender o carro dos Jetsons. Enquanto alguns tentam fazer automóveis convencionais voarem, a maioria investe em pequenos aviões, individuais ou tamanho família, fáceis de pilotar e baratos – quer dizer, tão baratos quanto um carro de luxo. É o caso da Zee.Aero, empresa que acumula patentes de um veículo que decola e pousa na vertical, sem precisar de uma pista de decolagem tradicional.

Quando a Zee.Aero abriu um escritório no Vale do Silício, os vizinhos ficaram confusos. A casa ficava ao lado do Googleplex, o “quartel general” das operações do Google. O terreno ao redor do complexo pertence ao buscador mais famoso do mundo – então porque eles alugariam para uma empresa pequena e desconhecida?

Acontece que o principal investidor da empresa é Larry Page, co-fundador do Google, segundo um relatório da Bloomberg Businessweek. A revista entrevistou dez funcionários da Zee.Aero, que contaram que Page financiou pessoalmente os projetos do “carro” voador e investiu mais de 100 milhões de dólares. A empresa estaria testando seu protótipo em um pequeno aeroporto na cidade de Hollister.

LEIA: E se todo mundo tivesse um carro voador

Segundo o relato dos funcionários, até pouco tempo atrás, Page ocupava o segundo andar do escritório e os empregados da Zee o apelidaram de GUS – the guy upstairs, em português o cara do andar de cima.

A empresa tem um forte ar de mistério: o site da Zee descreve que seu objetivo é “criar, construir e testar as melhores formas de chegar de A até B” – e nada mais. Fora essa frase nem um pouco reveladora, a página divulga vagas para engenheiros e especialistas em TI, para quem tiver interesse em participar do hobby milionário de Page.

A história fica mais bizarra: além da Zee.Aero, Page se tornou investidor de mais uma startup de transporte aéreo, a Kitty Hawk. A ideia de Page seria colocar as duas empresas para “brigar” e ver qual delas desenvolve o produto mais eficiente mais rápido.

Segundo os documentos de registro da empresa, o presidente é Sebastian Thrun, a mente por trás do projeto inicial do autônomo Google Car. O produto que a empresa desenvolve é lembra um drone com quatro hélices, só que grande o suficiente para transportar uma pessoa.

Se só o fundador do Google está envolvido em duas empreitadas para que as pessoas passem a voar no seu dia a dia, dá para imaginar quantas outras empresas desenvolvem tecnologias parecidas. A barreira principal que nos separa de carros voadores tem mais a ver com a regulamentação do que com as leis da física.

Os requisitos de segurança e códigos de regulação de trânsito aéreo não estão preparados para um grande volume de tráfego ainda, especialmente porque os pilotos não serão mais especialistas. Ainda estamos aprendendo a evitar acidentes com o aumento do número de drones no ar – imagina ter que lidar com congestionamento aéreo equivalente a uma volta de feriado?