GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Marte mais conhecido do que a Terra

O que aparece como manchas e sombras nas fotos normais são, na verdade, profundos abismos e altíssimas montanhas. Assim é Marte, visto em três dimensões pela nave Mars Global Surveyor, da Nasa. As imagens coloridas que você vê nestas páginas são o resultado da montagem de 27 milhões de medições feitas entre 1998 e 1999, por um altímetro a laser a bordo da sonda, chamado Mola. O raio laser é lançado contra a superfície do planeta e refletido de volta, com precisão, para o detector. Os dados são tão precisos que mostram diferenças de apenas 13 metros na altura entre dois pontos. No artigo publicado na revista científica americana Science, a equipe liderada por David Smith, do Centro do Vôo Espacial Godard, afima que agora conhecemos a topografia marciana melhor do que a de muitos continentes terrestres. “Só no ano que vem teremos um altímetro tão avançado circulando em órbita da Terra”, disse Smith à SUPER. Nestas páginas, você vê o mapa topográfico de Marte e, também, alguns detalhes impressionantes do cenário, fotografados em luz visível.

Para cada cor, uma altitude

A sonda Mars Global Surveyor mostra surpresas na topografia marciana.

1. Vulcões em Tarsis

O Monte Olimpo, o maior deles, tem 500 quilômetros de diâmetro na base e eleva-se 27 quilômetros acima da altitude média marciana. Os outros três montes ao seu lado, Ascraeus, Pavonis e Arsia, têm altura superior a 15 quilômetros. As manchas brancas que aparecem sobre os vulcões são nuvens, comuns naquela área no meio das tardes marcianas.

2. Vale Marineris

O imenso cânion no equador de Marte tem quase 5 000 quilômetros de extensão. O altímetro a bordo da Mars Global Surveyor descobriu diferentes profundidades ao longo da fenda. O ponto mais fundo fica no centro do vale. Os especialistas desconfiam que a água que um dia encheu o Marineris tenha brotado da terra, ali mesmo. Na foto acima, você vê o detalhe de uma das escarpas do Marineris.

3. Bacia Hellas

Esta imensa depressão, criada pela queda de um bólido há bilhões de anos, tem mais de 2 000 quilômetros de diâmetro e 9 quilômetros de profundidade. Ali dentro caberia, inteirinho, o Monte Everest, o mais alto da Terra, com 8 848 metros, e ainda sobrariam uns 200 quilômetros de borda.

4. Mesetas da Planície Elysium

Esta região, próxima ao equador, é relativamente baixa, mas povoada por pequenos montes com o topo achatado. Os cientistas acham que esses morrotes, de pouco mais de 1 quilômetro de diâmetro, são o que restou da erosão no solo da região. A área coberta pela imagem ao lado tem 3 quilômetros de largura.