GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Melhor que a realidade

Modern Family, Shelock Holmes no século 21, Senhor dos Anéis 3,5 e mais escolhas do mês

Alexandre Versignassi, Leandro Narloch, Luisa Destri, Rafael Bresciani

1. Melhor que a realidade
Um casal gay que adota uma filhinha no Vietnã. Um avô que se casa com uma colombiana fogosa 30 anos mais jovem. Uma família com 3 filhos, comandada por um pai loser. E todos são aparentados. Essa é a premissa de Modern Family, comédia de sucesso da TV americana. Filmada como um documentário, com depoimentos dos personagens para as câmeras, a série queria chamar a atenção dos fãs de reality shows e conseguiu. As piadas são meio involuntárias, meio pastelão. Você vai dar risada em voz alta. A 2ª temporada estreia 22 de setembro nos EUA, vai passar aqui, mas ainda não tem previsão de lançamento.
Modern Family, Fox Brasil.

2. Imperialismo faz bem?
O historiador britânico Niall Ferguson é um Zé Mayer do mundo intelectual: coroa bonitão, rico e com uma vida sexual variada. Império é tão polêmico quanto o autor. A tese do livro é que o Império Britânico não foi um vilão que passou por cima de culturas nativas para explorá-las, como se diz. Ferguson mostra que o colonialismo da Inglaterra teve virtudes também: levou a um quarto da Terra o império da lei, governos menos corruptos, o livre mercado e noções de democracia.
Império, Niall Ferguson, Planeta, 448 páginas, R$ 44,90

3. Você também é fonte
Se você já esqueceu como usar uma caneta para escrever, eis o site perfeito. Primeiro, imprima e preencha uma folha com uma amostra de cada uma das suas letras separadamente (tem que baixar lá). Depois escaneie a folha e pronto: o site reconhece o que você escreveu e transforma a sua caligrafia em uma (às vezes nem tanto) maravilhosa fonte de computador.
pilothandwriting.com/en/

4. O que sobrou de Ozzy…
“Nosso sonho era tocar num pub para ganhar cervejas. O problema é que a gente não aprendia a tocar porque estava sempre num pub, falando como um dia íamos tocar e ganhar cerveja.” Osbourne passou tanto tempo usando cocaína, cerveja e ansiolíticos quanto você passou trabalhando. Mesmo assim, foi operário, matador de vacas, inventou o heavy metal e virou a maior celebridade de reality show da história. Está tudo nesta biografia, que vai virar filme.
Eu sou Ozzy, Ozzy Osbourne e Chris Aires, 384 págs. R$ 40, Benvirá
…E os segredos de Jim
As duas toneladas de livros sobre Jim Morrison somem diante deste. Ben Fong-Torres, um dos melhores jornalistas de rock dos EUA, falou com os remanescentes dos Doors e gente ligada à banda para montar uma biografia pouco usual: toda narrada pelos entrevistados. Entre eles, uma surpresa para os fãs: o almirante George Morrison, o misterioso pai de Jim. Ele fala pela primeira vez sobre o filho, morto há 39 anos.
The Doors por The Doors, Ben Fong-Torres, 365 págs. R$ 60, Agir

5. Senhor dos Anéis 3,5
O fan fiction The Hunt for Gollum transformou um orçamento de US$ 5 mil em uma sequência quase profissional de 40 minutos de O Senhor dos Anéis. Na trama, o mago Gandalf envia o humano Aragorn em busca de Gollum (aquele monstrinho do “my preciousss”). Tirando algumas limitações técnicas – como o fato de que Gollum só é visto de longe (seria difícil recriar a animação original) -, o filme engana bem. O capricho do diretor Chris Bouchard rendeu mais de 3,5 milhões de espectadores na internet. Dá para matar a saudade da Terra Média.
The Hunt for Gollum, thehuntforgollum.com

6. Elementar e digital
House + CSI = Sherlock Holmes. É isso que acontece no novo seriado da BBC inglesa. Em 3 episódios de 90 minutos (cada um vale por um filme), o detetive de Conan Doyle está no século 21, mas se mantém antipático e fascinante – e morando na famosa Baker Street 221b. Na série, ele conta com a tecnologia para desvendar crimes. O fiel Watson continua lá, mas nesta versão é ex-médico do Exército, recém-chegado do Afeganistão. O dvd saiu em julho na Inglaterra, não tem previsão no Brasil, mas pode ser comprado na Amazon.
Sherlock, http://migre.me/14BBI