GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O Google Maps vai à Amazônia

Depois de mapear as ruas do mundo, o street View resolveu ir além – e desbravar a floresta.

Thiago Perin

Procurar as casas dos amigos no Google Street View já perdeu a graça? Agora dá para ir bem mais longe, e viajar pela floresta amazônica. O Google capturou mais de 50 mil fotos em uma área de 50 quilômetros quadrados da Reserva do Rio Negro, unidade de preservação ambiental próxima a Manaus, e transformou tudo em um mapa de 360 graus. Uma equipe de funcionários da empresa veio dos EUA para registrar as imagens, que depois passaram por 8 meses de tratamento até entrarem no ar. A área coberta pelo Street View amazônico ainda é bem pequena (a floresta tem mais de 5 500 km²), e não há previsão de expansão. Mas o serviço é bem interessante, e vale a visita: inclui registros de regiões com acesso restrito ao público, como trechos do Rio Negro, o segundo maior em volume de água do mundo, bem como trilhas e comunidades locais.


VIAGEM AO CENTRO DA SELVA

Empreitada envolveu triciclo, barco e câmeras.

POR ÁGUA
A equipe do Google alugou um barco e adaptou o triciclo sobre ele para percorrer o rio Negro e alguns de seus afluentes, onde trechos da floresta são alagados pelas águas. O passeio levou 3 semanas.

POR TERRA
As trilhas na floresta foram percorridas por um triciclo criado pelos engenheiros do Google, equipado com 9 câmeras e 3 lasers para fazer o mapeamento. ele é movido a pedaladas e pesa mais de 100 kg.

A PÉ
Moradores locais receberam câmeras profissionais e foram orientados a fotografar tudo aquilo o que achassem interessante – como as igrejas da região e grupos de libélulas dentro da mata.

Clique nos links abaixo para iniciar seu passeio virtual:
Rio Negro
Floresta inundada
A comunidade de Tumbira, na Reserva Florestal do Rio Negro
Trilha na floresta

Veja outras dicas de utilização do Google Maps amazônico neste texto do Google, em inglês.