GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

PC maior de idade

Aos 18 anos, o mais popular microcomputador do planeta já pode ser considerado um adulto. Está mais fácil de usar, mais esperto e não trava a toda hora.

Paulo Amaral

Finalmente o PC está deixando a adolescência. PC, como você sabe, é a sigla em inglês para computador pessoal, usada para designar os modelos que seguem o desenho criado pela IBM em 1980. Desde o nascimento do primeiro protótipo – quatro anos depois do micro da Apple, que originaria o Macintosh –, o PC nunca sofreu tantas alterações quanto nos últimos meses. Para evitar uma confusão de equipamentos diferentes no mercado, alguns fabricantes até bolaram uma nova arquitetura interna para seus produtos (veja o infográfico). Chamada oficialmente de PC 98, a nova máquina tira de letra o processamento de multimídia, um dos principais problemas dos micros que ainda habitam a maioria das escrivaninhas. Além disso, ela também vai ficar cada vez mais especializada. Haverá modelos apropriados para tocar música, para funcionar como TV, para navegar pela Internet ou simplesmente para processar textos.

Dependendo da opção, o salto na qualidade não vai significar preços altíssimos. As empresas estão decididas a popularizar o PC e por isso se empenham em barateá-lo, além de torná-lo mais fácil de usar. A julgar por essa tendência, pode esperar, máquinas que enxergam e ouvem logo, logo serão coisa corriqueira.

A anatomia do novo micro

Conheça a tecnologia escondida nas máquinas mais sofisticadas.

A comunicação entre o chip central e o co-processador de imagens fica mais eficiente com um novo acelerador gráfico.

Chega de fios. O PC 98 permite conectar até 127 aparelhos a uma só saída. O micro pode controlar luz, alarme e um monte de eletrodomésticos ao mesmo tempo.

O chip Pentium II dá um banho em imagens tridimensionais. É o adeus aos caros complementos gráficos.

Melhorada, a placa-mãe, onde se encaixam os componentes, dá bom suporte para o chip Pentium II.

A velocidade do barramento, estrada por onde circulam os dados, foi multiplicada por 100.

Uma memória mais poderosa aposenta a tradicional e acelera consideravelmente o processamento de imagens.

Internet a jato

No Brasil, ainda não dá nem para usar o modem de 56 kilobits por segundo porque o sistema telefônico só agüenta 45. Nos Estados Unidos já dá para chegar a 1,5 megabits por segundo.

Som com três dimensões

Como nos home theaters, se um carro passar na tela do novo micro da direita para a esquerda, o barulho será ouvido primeiro na caixa acústica da direita e depois na da esquerda.

A vez do DVD

CD-ROM já era. O novo micro terá leitor de DVD e até drive para um novo disquete inventado pela Sony e pela Fuji. Nas mesmas 3,5 polegadas que conhecemos, ele guarda 200 vezes mais dados.

Sem enrolação

Além da capacidade de armazenamento aumentada, os novos discos rígidos ainda conseguem conversar com o processador a uma velocidade 100% maior do que os modelos anteriores.

Peça pelo nome

Cheque se o computador tem o que há de melhor.

Chip: Pentium II 400 MHz

Acelerador gráfico: Accelerated Graphics Port (AGP)

Memória: Synchronous Dynamic Random Access Memory (SDRAM)

Barramento: Firewire, o mesmo do Mac

Placa-mãe: tem que aceitar o soquete do Pentium II, chamado Slot 1

Saída: Universal Serial Bus (USB)

Disco rígido: deve ter a tecnologia Ultra2 SCSI (Small Computer System Interface)

Os primeiros

Algumas máquinas que já incorporam parte das novas tecnologias.

O Infoway Theater, da Itautec, com som tridimensional, tem monitor de 33 polegadas e custa 8 000 reais

O Compaq Presario 4640, de 3 300 reais, já incorporou várias novidades. Tem até drive de DVD

Com processador e memória novos, o Aptiva S, da IBM, deve chegar logo ao Brasil. Nos Estados Unidos custa 2 500 dólares

Feito para empresas, o Deskpro 4000N (Compaq), tem chip, barramento e disco rígido novos. Custa 2 000 reais