GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Sem hélice e sem perigo

Empresa McDonnel-Douglas cria um helicóptero sem hélice, mediante um sistema de propulsão de ar.

Um helicóptero tradicional é tão ágil quanto frágil: embora precise de pouco espaço para decolar e aterrissar, porque o faz verticalmente, ele deve ficar longe de qualquer obstáculo que possa atingir seu rotor de cauda. Aquela pequena hélice, além de permitir mudar a direção do helicóptero para a esquerda ou a direita, é quem mantém o aparelho estável no ar. Sem ela, como reação ao giro do rotor principal sobre a cabine, o helicóptero rodaría em sentido contrário como um pião. Basta a um piloto inepto esbarrar o rotor de cauda num simples galho de árvore para que o helicóptero vá ao chão.

Com a tecnologia NOTAR, criada pela McDonnel-Douglas Helicopter Company, a fragilidade dos helicópteros por causa do rotor de cauda vira história do passado. Em lugar de uma hélice, o NOTAR, abreviação de No Tail Rotor (Sem Rotor na Cauda), possui um sistema de propulsão de ar por dentro da cauda, que executa o mesmo serviço de direcionar e estabilizar o aparelho. Uma espécie de ventilador acoplado ao motor joga para a cauda ar sob baixa pressão, que sairá através de fendas de abertura controlável. Se quiser virar para a esquerda, o piloto dirige o ar para sair pelo lado esquerdo, provocando o deslocamento da cauda para a direita. Para um vôo estacionário, a saída do ar pela cauda só precisa compensar a reação provocada pelo giro do rotor principal. Um helicóptero com a tecnologia NOTAR pode pousar com a cauda esbarrando em quantas árvores houver por perto.