Clique e Assine por apenas 6,90/mês

Super Tech: os 4 gadgets mais interessantes do mês de março

A calça que ensina a fazer ioga, uma caixa de som Bluetooth para festas, o primeiro capacete com visão 360 graus - e um celular mais elegante que o iPhone X

Por Bruno Garattoni - Atualizado em 25 fev 2019, 13h18 - Publicado em 25 fev 2019, 13h17

Cerveja com bluetooth

Os fabricantes de eletrônicos têm apostado nas chamadas “party speakers”, caixas de som com alto-falantes que mudam de cor e funções para brincar de DJ. A GTK-PG10, da Sony, radicaliza essa tendência: tem até uma espécie de mesinha retrátil para colocar copos de cerveja (segundo o fabricante, o produto é à prova de derramamento de líquidos). A caixa tem conexão Bluetooth, bateria com 13 horas de autonomia e pesa 6,7 kg. Já está à venda, por US$ 250, nos Estados Unidos.

 

Continua após a publicidade
Nadi X/Divulgação

Ioga sem professor

A calça Nadi X vem com um aplicativo que ensina as principais poses da ioga. Mas o truque é que ela tem sensores, embutidos no tecido, que detectam se você está fazendo os movimentos direito – e avisa, por meio de pequenas vibrações, quando é necessário corrigir alguma posição. A calça tem versões para homens e mulheres, é à prova d’água (pode ir à máquina de lavar), e custa US$ 249.

 

Continua após a publicidade
crosshelmet X1/Divulgação

Visão 360 graus

O capacete Crosshelmet X1 tem uma câmera na parte de trás, que capta o que está acontecendo ao redor do motociclista. Essa imagem é projetada no visor frontal do capacete, onde aparece como se fosse um retrovisor virtual. Ele aumenta bastante a segurança do motociclista – e também mostra informações de GPS, indicando onde e quando virar (você define a rota no seu smartphone). Pena que o produto custe caro: US$ 1.600.

 

Continua após a publicidade
Huawei/Divulgação

O fim do talho

O iPhone X apresentou ao mundo o “talho” (notch), um corte na parte de cima da tela para abrigar a câmera frontal. Apesar de ser bem feinho, ele foi copiado por todos os outros fabricantes. Mas, agora, há uma solução melhor: o Honor View 20 (US$ 650), da chinesa Huawei, tem apenas uma discretíssima abertura para a câmera e o sensor de reconhecimento facial.

Publicidade