Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

videogame :o fim do aperto

Ao rebater uma bola em um game de beisebol, por exemplo, você usa o controle como um taco. Mais intuitivo, impossível.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h48 - Publicado em 30 jun 2006, 22h00

Bruno Vasone, em Los Angeles

É praticamente impossível conhecer alguém que nunca tenha visto um filme, lido um livro ou assistido a televisão. Agora, gente que nunca jogou videogame existe aos montes. Pois a Nintendo está disposta a conquistar aqueles que têm aversão a apertar botões. A empresa lança, até o fim do ano, seu novo console: o Wii, que quebra barreiras no quesito joystick e custará algo como 200 dólares (ou um terço do preço do Playstation 3).

Os botões ainda estão lá, mas são meros acessórios – agora, para comandar o seu personagem na tela, o jogador simula o movimento desejado com o controle. Ao rebater uma bola em um game de beisebol, por exemplo, você usa o controle como um taco. Mais intuitivo, impossível.

A primeira demonstração pública do videogame foi o grande destaque da maior feira de games do mundo, a Eletronic Entertainment Expo (E3), que aconteceu em maio, em Los Angeles (EUA). Jornalistas perderam a compostura no estande da Nintendo, e o público teve que enfrentar filas de mais de 3 horas para poder experimentar o console.

O joystick de personalidade múltipla

Volante de Carro

Quem nunca se pegou, ao jogar algum game de corrida, retorcendo o corpo conforme realiza curvas no asfalto virtual. Com o Wii a pagação de mico vai ser ainda maior, pois o controle funciona também como um volante. Incline para a frente para acelerar, para os lados para virar, e assim por diante. O mesmo princípio também vale para games de skate, snowboard e similares.

Continua após a publicidade

Pistola ou Espada

Controlar a mira naqueles games de tiroteio sempre foi um estorvo com os joysticks tradicionais. Aqui, basta apontar o controle para o alvo na tela, apertar o “gatilho” e BAM! – inimigo abatido. Se a luta enroscar e for pro corpo-a-corpo, não se preocupe: o controle pode virar uma espada virtual se você o usar para cortar o ar e simular os movimentos de um espadachim.

Batuta ou Vara

Não há limites para as maneiras de usar a nova tecnologia. O controle pode funcionar como uma vara de pescar, arco e flecha ou até mesmo como uma batuta para reger uma orquestra virtual. Ele ainda treme e vibra, conforme a situação do jogo, e possui um alto-falante embutido, que recria sonoramente a trajetória de objetos virtuais do controle até a TV.

Raquete ou Taco

Em games de esportes a diferença é brutal. Disputar uma partida virtual de golfe ou tênis exige que você faça com o controle os mesmos movimentos que faria com um taco ou raquete. Já para simular uma corrida de 100 metros rasos, basta segurar o controle e mexer os braços, como se estivesse correndo. Desse jeito, pra que continuar pagando academia?

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)