GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Webcam de universidade dos EUA funciona sem parar há 25 anos – e contando

Instalada para registrar a vida no campus e o clima de São Francisco, a FogCam seria aposentada no fim de agosto – mas ganhou novo fôlego na última semana.

“A internet mudou muito desde 1994, mas a FogCam sempre terá um lugar especial em sua história”. Foi com essa frase que os americanos Jeff Schwartz e Dan Wong se despediram de sua criação mais querida: a FogCam. Via Twitter, a mensagem postada pela dupla em 18 de agosto anunciava o fim das operações do projeto, tido como a webcam a passar mais tempo funcionando em toda a história.

A FogCam fica no campus da Universidade Estadual de São Francisco e foi instalada há 25 anos, quando Schwartz e Wong ainda eram alunos da graduação. A inspiração para a ideia, claro, era a câmera da cafeteira da sala Trojam, a primeira webcam do mundo, que já em 1993 servia para monitorar o uso de uma máquina de café na Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Mas a função da FogCam nasceu um tanto mais pretensiosa: registrar e transmitir via internet aspectos como a vida no campus e o clima de São Francisco – daí o nome: fog, em inglês, significa neblina, fumaça.

A cada 20 segundos, a câmera captura um frame da paisagem e disponibiliza em seu site oficial – que você pode acessar clicando neste link. Hoje focada na Avenida Holloway, a câmera já esteve apontada para a fila do Cafe Rosso, lanchonete que funciona no campus da universidade – uma referência clara à câmera da cafeteira da sala Trojan.

Após se manter funcional por um quarto de século à fio, ela estava com os dias contados para se aposentar. Os motivos da decisão, segundo disse Schwartz ao jornal SFGate, eram de natureza prática. Estava cada vez mais desafiador manter a FogCam funcionando depois de todo esse tempo.

Veja também

“O ponto principal é que não temos mais um local adequado e com boa visão para colocar a câmera. A universidade nos tolera, mas não nos apoia de fato, e temos que encontrar os pontos ideais para posicioná-la por conta própria”, disse. “Sentimos que era o momento de abandoná-la”. O dia 30 de agosto, então, foi escolhido como data da transmissão final. A ameaça de encerramento das atividades da FogCam virou notícia em todo o mundo e ganhou até mesmo uma hashtag no Twitter ().

A boa notícia para os fãs da ideia é que, apesar da declaração desenganada de Schwartz, os ventos viraram e o projeto acabou sendo mantido. Tudo porque a Universidade Estadual de São Francisco pediu para “preservar o projeto e mantê-lo indefinitivamente”, segundo diz o site da FogCam.

“A Universidade Estadual de São Francisco apoiou a operação da FogCam desde a sua introdução, em 1994, uma tecnologia inovadora para a época. A universidade espera continuar com o legado da webcam”, diz um comunicado oficial. A decisão foi comemorada na página da universidade no Twitter.

O comunicado não poderia vir em um momento mais oportuno, já que o próximo dia 30 de setembro marca o aniversário de 25 anos da instalação da FogCam. Com a câmera da cafeteira da sala Trojan desativada desde 2001, dá para dizer que ela reina já soberana entre as webcams há muito tempo. Que venham os próximos 25 anos.