Notícias Superinteressantes

Pílula do aborto

Cientistas franceses anunciam uma revolução - a pílula que provoca aborto no começo da gravidez. A droga, chamada Mifepristona ou RU 486, bloqueia a passagem da progesterona, hormônio fundamental na gravidez, para o óvulo fecundado. Sem a progesterona, os tecidos que fixam o ovo no útero deixam de crescer e ocorre, sem traumas para o organismo, dois ou três dias depois.

A "pílula francesa", como já é conhecida, pode mexer nos dados da discussão sobre o aborto em países como o Brasil, onde a prática é proibida. Mas na própria França a tendência é confinar o medicamento às clínicas do governo onde o aborto é autorizado. Seja como for, a sua eficiência nunca é total: funciona em 70 por cento dos casos em gestações de até sete semanas; quando a gravidez têm de oito a dez semana, o índice cai para 50 por cento.

publicidade

anuncie

Super 338 - Maconha medicinal Com uma guerra judicial envolvendo crianças, mães e o governo, a discussão sobre as propriedades médicas da maconha pega fogo no País. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 338
outubro/2014

Maconha medicinal
Com uma guerra judicial envolvendo crianças, mães e o governo, a discussão sobre as propriedades médicas da maconha pega fogo no País.

- sumário da edição 338
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Saúde

publicidade

anuncie