Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Bruno Garattoni Por Bruno Garattoni Vencedor de 12 prêmios de Jornalismo. Editor da SUPER.

Banco Central dos EUA quer suspender lançamento da criptomoeda do Facebook

Por Bruno Garattoni Atualizado em 11 jul 2019, 13h03 - Publicado em 11 jul 2019, 12h59

Para o Federal Reserve, libra traz preocupações sérias com relação a lavagem de dinheiro e outras questões, e “não pode prosseguir” até que sejam sanadas

“Eu não acho que o projeto possa prosseguir”, disse o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, durante sua sabatina semestral ao Congresso dos EUA. “A libra levanta muitas questões sérias com relação a privacidade, lavagem de dinheiro, proteção dos consumidores e estabilidade monetária”, aifrmou Powell. Segundo ele, a criptomoeda do Facebook só poderá ser lançada após uma análise dos órgãos regulatórios, que necessariamente deverá ser “cuidadosa e paciente”. O Facebook planeja lançar a libra, que foi apresentada há duas semanas, em 2020.     

A tomada de posição do Fed deverá ter consequências profundas para a libra, que poderá atrasar ou sofrer reformulações importantes. Tecnicamente, o Facebook até poderia lançar sua criptomoeda sem a bênção do banco central americano. Mas é muito difícil que isso ocorra, pois criaria problemas na compra e venda da libra, um processo que necessariamente envolve o sistema financeiro tradicional (a Libra Association, consórcio criado para desenvolver e administrar a nova moeda, inclui Visa, Mastercard, PayPal e outras 25 empresas).  

Procurado pela agência de notícias Reuters, o Facebook não acusou o golpe: disse que está “muito alinhado” com as preocupações do Federal Reserve, que manterá um “diálogo construtivo” para o aperfeiçoamento da libra, e que por isso mesmo ela foi anunciada bem antes do lançamento. 

As ações da empresa tiveram queda discreta, de 0,6%, após as declarações de Powell. Já o bitcoin, a maior das criptomoedas, chegou a perder 7% de seu valor. 

Continua após a publicidade
Publicidade