Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Oráculo Por Bruno Vaiano Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

O que é cinema 4D?

O que diabos é um cinema 4D? Isso não é um caô marqueteiro que deturpa a física, a astronomia e tudo mais? Wallace P. Polga, São Paulo, SP Não é jogada de marketing, embora a quarta dimensão desses cinemas bacanões que começam a ~pipocar~por aí se refira a sentidos, como o tato e o olfato, […]

Por Oráculo Atualizado em 21 dez 2016, 09h07 - Publicado em 28 jun 2012, 19h46

O que diabos é um cinema 4D? Isso não é um caô marqueteiro que deturpa a física, a astronomia e tudo mais?
Wallace P. Polga, São Paulo, SP

Não é jogada de marketing, embora a quarta dimensão desses cinemas bacanões que começam a ~pipocar~por aí se refira a sentidos, como o tato e o olfato, e não à uma nova dimensão espacial. “O mundo tem 3 dimensões. Alguns consideram a existência de uma quarta, mas ela seria o tempo, que não pode ser visto na tela do cinema”, explica o professor de física Ênio Kaufmann. No cinema 4D, além de enxergar com a profundidade do 3D, o espectador sente na pele o que acontece no filme.

Ou seja, quem conhece os parques da Disney sabe que isso não é novidade nenhuma.

O pessoal do Cinépolis, empresa responsável pelo primeiro cinema 4D no Brasil, dá mais detalhes: “Na sala, as poltronas se movem em sincronia com o filme, simulando aceleração, freada, subida, descida e curvas. Vários pontos da poltrona vibram, completando as ações na tela. Quando há tiros, flechadas, tapas ou outros movimentos bruscos no filme, jatos de ar comprimido saem lateral ou frontalmente ao espectador”.

Pirou? Além disso, borrifos de água, aromas, bolhas, neblina e efeitos de luz são usados para completar a ambientação e levar quem assiste cada vez mais para dentro do que acontece na telona.

Hoje, só é possível experimentar a novidade em São Paulo, mas há a previsão de abertura de uma nova sala de cinema 4D para o primeiro semestre de 2013, em Curitiba.

Mas o curioso é que ninguém se lembra da quinta dimensão. Ela pode ser percebida com o uso indevido de aparelhos móveis e o volume indevido de sons produzidos por bocas alheias. É fascinante. Você paga o ingresso e ganha inteiramente grátis comentários fora de hora, ringtones e barulho de pipoca mastigada no meio da sessão!

Continua após a publicidade
Publicidade