Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Por que, em português, a palavra “obrigado” vem da ideia de obrigação?

Se em outras línguas latinas ela vem da ideia de "graça" (como grazie, gracias etc.)?

Por Carolina Fioratti Atualizado em 25 nov 2020, 13h15 - Publicado em 17 abr 2020, 11h09

Nem sempre foi assim.

Camões e outros autores, no século 16, ainda não empregavam a palavra para expressar gratidão – ela só valia mesmo para se referir a uma ação que alguém realiza contra sua vontade, como na frase “fui obrigado a ficar em casa pelo coronavírus”. Na época, ainda usávamos os equivalentes lusófonos de gracias e grazie, como “agradecido” e “grato” (além da expressão “bem haja”).

O “obrigado” só ganhou seu novo sentido no século 18 na língua falada e no século 19 na escrita. Entrou no português como uma forma reduzida da expressão “obrigado a Vossa Mercê” – um jeito arcaico de se obrigar a retribuir um dia, como no atual “fico te devendo essa”. Moral da história: em português, ajudar não sai de graça (que é o sentido original de gracias: algo que se dá sem esperar retorno).

Essa é apenas uma das sutilezas do português. O idioma é também é um dos únicos a designar os dias da semana usando numerais: segunda, terça, quarta etc. Em outras culturas, prevaleceu a homenagem a deuses e astros, por exemplo. No espanhol, lunes (segunda) seria para a Lua, martes (terça) para Marte e miércoles (quarta) para Mercúrio.

De qualquer forma, o mais importante é ser educado e sempre agradecer. Muito obrigado por terem lido esse Oráculo.

Pergunta de @vanessalimacoach, via Instagram

Fonte: Deonísio da Silva, professor emérito e ex-diretor do depto. de Letras da UFSCAR.

Continua após a publicidade
Publicidade