Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Falta de concentração leva SUPER a deixar palavras de fora na matéria de capa de julho

Por Redação Super Atualizado em 21 dez 2016, 10h36 - Publicado em 25 jun 2012, 17h33

Você leu a matéria de capa da edição de julho da SUPER com atenção? Reparou que faltou alguma coisa? É que a equipe da SUPER não passou no teste de concentração. Na hora de fechar a revista, uma caixa de texto da capa escorregou, ficou menor do que deveria – e acabou deixando de fora umas palavrinhas. O resultado é que o primeiro parágrafo da matéria foi publicado com uma frase pela metade. Leia aqui o parágrafo completo:

Edison não conseguia se concentrar de jeito nenhum. Tinha sempre dois ou três empregos e passava o dia indo de um para outro. Adorava trocar mensagens, e se acostumou a escrever recados curtos e constantes, às vezes para mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Apesar de ser um cara mais inteligente do que a  média, sofria quando precisava ler um livro inteiro. Para completar, comia rápido e dormia pouco – e não conseguia se dedicar ao casamento conturbado, por falta de tempo. Se identificou? Claro, quem não tem esses problemas? Passar horas no twitter ou no celular, correr de um lado para o outro e ter pouco tempo disponível para tantas coisas que você tem que fazer são dramas que todo mundo enfrenta. Mas esse não é um mal do nosso tempo. O rapaz da história aí em cima era ninguém menos que Thomas Edison, o inventor da lâmpada. A década era a de 1870 e o aparelho que ele usava para mandar e receber mensagens, um telégrafo. O relato, que está em uma edição de 1910 do jornal New York Times, conta que quando Edison finalmente percebeu que seu problema era falta de concentração, parou tudo. Se fechou em seu escritório e se focou em um problema de cada vez. A partir daí, produziu e patenteou mais de 2 mil invenções.

Pronto, o texto está completo. Agora que você já sabe, volte a se concentrar na sua SUPER – e conte para nós depois o que achou

 

Continua após a publicidade
Publicidade