Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

1 em cada 3 pessoas consegue ouvir sons nestes vídeos mudos. E você?

Entenda porque o fenômeno acontece – e faça o teste para descobrir se você é capaz de escutar.

Por Ana Carolina Leonardi Atualizado em 19 abr 2018, 18h54 - Publicado em 19 abr 2018, 18h49
City University London/Reprodução

O cientista Elliot Freeman, da City University de Londres, escuta sons imaginários. Quando olha para pessoas na rua, pode ouvir os seus passos, mesmo que elas estejam longe demais para que o barulho seja real. Ele vê carros darem seta e escuta tec-tec-tec-tec quando as luzes piscam.

Esse tipo de experiência entra no grupo das sinestesias – quando estímulos percebidos por um sentido específico dão origem a outras percepções sensoriais.

Algumas pessoas sentem gostos ou cheiros ao ouvirem palavras relacionadas a eles. Há quem escute música e escute uma cor para cada nota. Alguns matemáticos atribuem cores aos números na imaginação. Não é um sistema que precisaram inventar. A sinestesia é involuntária e consistente. Ou seja: sempre que pensam no número 3 ou na nota dó, veem a cor correspondente, espontaneamente.

A sinestesia visual-auditiva é uma das menos estudadas – e, por algum tempo, Elliot Freeman só achou que era meio maluco. Mas o pesquisador resolveu dedicar sua própria carreira à investigação desse fenômeno estranho. E descobriu que ele era muito mais comum do que ele imaginava: entre 20% e 30% das pessoas ouve sons imaginários quando vê vídeos sem som.

City University London/Reprodução

Como identificar esse “superpoder”

A pesquisa de Freeman mostra que a maioria dos “sinestésicos” ouve sons relacionados a imagens do cotidiano. O GIF de uma chaleira, por exemplo, pode fazer SHHHHH para muita gente. Mas tipos mais recorrentes dessa sinestesia acontecem quando as pessoas associam sons a imagens abstratas. Blocos mudando de forma, luzes neon piscando, quadros de arte modernista em movimento.

O fenômeno ficou famoso com o GIF de uma torre elétrica “pulando corda”. Já até falamos especificamente sobre ele antes. Muita gente (esta repórter inclusa) ouve distintamente o som de BUM! toda vez que a torre dá impulso no chão.

Continua após a publicidade

Segundo Freeman, geralmente a pessoa é capaz de perceber que o som está vindo da sua mente. É como cantarolar uma música dentro da sua cabeça. Mas todo som é uma interpretação do seu cérebro, certo? E, exatamente por isso, ainda é possível confundir esses barulhos com sons reais, especialmente em um ambiente muito silencioso.

O novo passo da pesquisa de Freeman é descobrir que tipo de estímulo visual mais leva à sinestesia. E também se ela é associada a outras variações de percepção.

City University London/Reprodução

Superpoderes colaterais

Freeman supõe que as pessoas que escutam os sons em vídeos mudos tem uma capacidade de percepção visual maior do que a média das pessoas. Além disso, as áreas cerebrais que coordenam estímulos visuais e auditivos provavelmente colaboram melhor que a maioria das pessoas.

Você pode ajudá-lo a confirmar (ou não) essa hipótese – e, de quebra, descobrir se você está entre os 20%-30% das pessoas com esse superpoder sinestético. É só clicar neste quiz. Está em inglês, mas é bastante intuitivo. Ele vai te mostrar uma série de GIFs mudos e perguntar, de 0 a 5, qual a intensidade de som que você percebe ao observá-lo.

City University London/Reprodução

Dica de quem fez o quiz: no começo, achei que não ia ouvir nada. Até o momento em que os GIFs soltam flashes de luz ou aceleram de movimento. Aí a sinfonia começou e não parou mais. Tenha paciência para ver as animações até o final.

Eu não escuto nada. E agora?

A página pessoal do pesquisador – onde ele conta sua história – também tem alguns vídeos COM som. Neles, Freeman acrescentou o áudio que mais se parece com o que ele escuta ao ver os GIFs mudos. Assim, mesmo que você não faça parte dos 30%, ao menos consegue ter uma ideia do que acontece. E não precisa se sentir deixado de lado.

Continua após a publicidade
Publicidade