Clique e assine com até 75% de desconto

Brasil pode registrar evento meteorológico histórico nos próximos dias

Massa de ar polar vinda da Argentina pode trazer neve para o Sul e outras regiões que raramente registram o fenômeno.

Por Carolina Fioratti 17 ago 2020, 18h56

Nos próximos dias, uma parcela dos brasileiros terá que tirar os casacos do guarda roupa. De acordo com a MetSul (agência de meteorologia que presta serviços e consultoria), a região sul do país será atingida por uma intensa massa de ar polar a partir de quarta-feira (19), que deve se alastrar nos dias seguintes por outras regiões do Brasil.

As massas de ar polares são aquelas que se formam, como o nome já diz, próximas aos polos terrestres, que são áreas de altas latitudes. Este fenômeno, em especial, se originou no ar antártico e deve começar sua trajetória na Argentina, seguindo para o Sul, Centro-Oeste, Sudeste e parte do Norte do Brasil. Outros países latino americanos, como Paraguai, Bolívia, Uruguai, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela, também serão afetados. Os meteorologistas explicam que o ar frio deve ainda atravessar a linha do Equador e chegar ao Hemisfério Norte, atrapalhando o verão.

Massas de ar polares atingem o sul do Brasil anualmente, então o que torna essa tão especial? A MetSul descreve que ela será “excepcionalmente forte e abrangente” e explica que a alta probabilidade de frio intenso vem acompanhada de chances de neve. Por outro lado, não há certeza sobre onde e o quanto poderá nevar, já que as projeções indicam cenários bem diferentes.

Enquanto alguns modelos indicam a incidência de neve em locais em que o evento é comum, como Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul, e o Planalto Sul de Santa Catarina, outros apontam que o fenômeno pode ocorrer em mais áreas destes estados, somando também o sul de São Paulo, Paraná e Curitiba. Na Argentina, pode nevar em um local próximo de Buenos Aires e nas províncias de Santa Fé e Entre Rios. Outro país que talvez registre neve é o Uruguai.

  • Apesar do frio congelante que promete chegar, ele não é a novidade. As chances de nevar em lugares novos são o que tornam o episódio tão interessante, podendo representar a concretização de um novo evento histórico nos próximos dias.

    Além disso, o acúmulo de neve no Brasil não costuma superar os dez centímetros, mas um modelo canadense publicado no site da MetSul indica que, no interior da região sul, alguns pontos podem registrar entre 25 e 50 centímetros. O último evento extremo enfrentado no Brasil ocorreu em 2013, quando 150 municípios de Santa Catarina registraram neve. Vale lembrar que as projeções atuais são muito diferentes entre si e inconclusivas, então só saberemos o cenário com exatidão nos próximos dias.

    Os gaúchos podem se preparar para a geada já na quarta-feira, enquanto os moradores de outras regiões afetadas devem começar a sentir o impacto entre quinta e sexta-feira, aguentando o clima frio até sábado (22). A massa de ar deve vir acompanhada de ventos moderados a fortes, o que pode baixar ainda mais a sensação térmica – marcando valores negativos no sul e inferiores aos 9 ºC no Centro-Oeste e Sudeste.

    Além da possibilidade de neve em algumas regiões, pode ocorrer ainda chuva congelada em locais de menor altitude, mesmo que ao nível do mar. Diferente da neve, que cai em formato de flocos direto das nuvens, a chuva congelada atravessa a atmosfera, que se encontra resfriada, e se solidifica ao entrar em contato com o solo em temperatura negativa. Já a chuva de granizo nada mais é do que chuva comum caindo em conjunto com pedacinhos irregulares de gelo.

    Seja qual for o caso, a coberta e o chocolate quente serão seus melhores amigos neste fim de semana.

    Continua após a publicidade
    Publicidade