Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Fóssil revela réptil marinho mais antigo já encontrado no hemisfério sul

Uma simples vértebra encontrada num riacho na Nova Zelândia mostrou que os notossauros habitaram o Polo Sul há mais de 246 milhões de anos.

Por Eduardo Lima
17 jun 2024, 18h00

O fóssil mais antigo de um réptil marinho do hemisfério sul foi descoberto por um time internacional de cientistas na Nova Zelândia. A vértebra de notossauro tem cerca de 246 milhões de anos. Na época, o país ficava na costa sul polar do oceano gigante Pantalassa, que rodeava o supercontinente Pangeia.

A vértebra foi encontrada numa pedra no leito de um riacho ao pé do Monte Harper, na Ilha Sul da Nova Zelândia. Os notossauros eram sauropterígios (lagartos de nadadeira, do latim), parte do mais diverso e geologicamente duradouro grupo de répteis que já existiu.

Este fóssil foi encontrado em 1978, mas passou despercebido até que um time de paleontólogos da Nova Zelândia, Noruega, Suécia, Austrália e Timor Leste se uniram para analisar a vértebra, em estudo que foi publicado na revista científica Current Biology.

A descoberta é do início da era dos dinossauros, que começou há cerca de 252 milhões de anos. Quando uma extinção em massa destruiu os ecossistemas marinhos da época, muitos répteis invadiram o superoceano. Sabemos disso por causa de descobertas no Ártico, no noroeste da América do Norte e no sudoeste da China.

Notossauros globalizados

Estes répteis marinhos podiam ter até sete metros de comprimento e nadavam usando quatro membros que se assemelham a remos. Mesmo que neste caso só tenha sido encontrada uma vértebra, sabemos por outros fósseis que os notossauros tinham crânios achatados e dentes finos e cônicos, que usavam para apanhar peixes e lulas.

Continua após a publicidade

Os notossauros, como esse que teve sua vértebra encontrada na Nova Zelândia, eram ancestrais distantes dos plesiossauros, famosos por parecer com a imagem lendária do monstro do Lago Ness. Eles viviam num ambiente costal raso e cheio de diversos animais marinhos naquilo que um dia já foi o círculo polar do sul.

A vértebra é 40 milhões de anos mais antiga que os fósseis que eram considerados os mais antigos de sauropterígios encontrados no hemisfério sul. Encontrá-la na Nova Zelândia ajudou a reimaginar como se deu a dispersão dos notossauros pelo globo. O estudo mostra que eles surgiram perto da linha do Equador, e depois migraram para o norte e o sul ao mesmo tempo, numa verdadeira globalização dos répteis.

O início da era dos dinossauros foi um momento de aquecimento global extremo, então os répteis marinhos conseguiam prosperar mesmo no Polo Sul. Mudanças climáticas depois disso foram essenciais para que os dinossauros desenvolvessem sangue quente. Para entender, leia nossa matéria.

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.