Clique e Assine por apenas 8,90/mês

Ler literatura (mas só literatura) deixa você mais inteligente

Está na hora de abrir aquele Dostoiévski empoeirado da sua estante.

Por Karin Hueck - Atualizado em 31 out 2016, 18h59 - Publicado em 31 ago 2016, 13h30

 
Todo mundo sabe as vantagens de ler um bom livro. Além da diversão garantida e de ser a maneira mais eficiente de transmitir conhecimento entre dois cérebros, ler também pode ser tão bom quanto sexo. Mas agora pesquisadores descobriram que a literatura podem tornar as pessoas mais emocionalmente inteligentes do que outras. O salto está no tipo de livro que aumenta o QI emocional: romances policiais, de mistério e de ficção científica não trouxeram os mesmo resultados que a literatura tradicional.
 
O teste foi feito em duas partes. Primeiro, os voluntários tinham de apontar em uma lista quais os nomes de autores eles conheciam. A ideia aqui era separar quem lia escritores de literatura de quem não lia. Depois, passaram por um teste que media inteligência emocional com base em reconhecimento de emoções a partir de fotos. A prova media os níveis de habilidade dos voluntários em entender a teoria da mente – a habilidade de prever intenções e desejos nos outros.
 
A conclusão: quem lia mais literatura também sabia “ler” melhor os estranhos. A ligação não é difícil de ser feita: quem passa horas viajando pela vida interior de personagens de ficção também vai sentir mais facilidade em se colocar no lugar de pessoas de carne e osso. A outra maneira de melhorar a inteligência emocional é a convivência social.
 
Ou seja, se você quiser se dar melhor na vida, não demore demais para abrir aquela sua velha edição de Machado de Assis.
Publicidade