Clique e assine com até 75% de desconto

Nova espécie de primata é descoberta na Ásia – e já está quase extinta

O simpático langur Popa habita o interior do Mianmar, mas só existem 250 representantes da espécie vivos.

Por Bruno Carbinatto Atualizado em 18 nov 2020, 19h14 - Publicado em 18 nov 2020, 19h04

Nas florestas úmidas e tropicais do Mianmar, os pequenos e simpáticos langures Popa se alimentam de folhas e frutos e vivem entre os galhos das árvores. A espécie, cujos pelos brancos no rosto lembram uma máscara, foi recém-descoberta por cientistas – e já vem acompanhada de uma notícia triste: está altamente ameaçada de extinção. Na região do Monte Popa, no interior do Mianmar, só existem entre 200 e 250 desses primatas, segundo estimativas.

Langures são macacos herbívoros da família Colobinae. Eles habitam grande parte do Velho Mundo, especialmente a Ásia, e contam com várias espécies, como o langur-cinzento e o langur-de-java. Há algum tempo cientistas desconfiavam que existia uma outra espécie desconhecida pelos humanos, por causa de algumas amostras de fezes encontradas na região do sudeste asiático cujo DNA não correspondia a nenhum primata conhecido.

  • Estudando espécimes de macacos preservados em museus, uma equipe de cientistas alemães descobriu que o DNA dessas amostras batia com o material genético de macacos capturados por exploradores britânicos há mais de cem anos, quando o Mianmar, sob o nome Birmânia, era colônia do Reino Unido, e que nunca foram analisados em detalhes. Isso indicou que de fato uma espécie de langur não catalogada existia nas florestas do país e já tinha sido inclusive capturada por humanos antes – e também deu início à busca pelo macaco misterioso.

    Foi só em 2018 que um langur Popa foi capturado em vídeo pela primeira vez. Isso porque a espécie vive em comunidades isoladas no interior do país, próximo ao vulcão Popa, em áreas bastante inacessíveis. Desde então, os cientistas coletaram dados sobre o animal até que publicaram a descoberta neste mês na revista científica Zoological Research, consolidando assim a mais nova espécie: Trachypithecus popa.

    Infelizmente, a espécie já “nasce” criticamente ameaçada de extinção. Com apenas 250 representantes vivos, separados em quatro comunidades isoladas, o langur Popa sofre da perda de habitat pelo desmatamento no interior do país e também pela caça, segundo os cientistas. Outros langures também estão ameaçados pelos mesmos motivos, tanto no Mianmar quanto na Ásia em geral.

    Descobrir novas espécies de primatas não é algo tão comum assim. Na maioria das vezes, isso só acontece quando análises genéticas demonstram que macacos muito parecidos são na verdade de espécies diferentes. O caso do T. popa é diferente porque ele tem características anatômicas distintas, capazes de distingui-los por si só, como a coloração de seus pelos. Segundo a análise genética, a espécie se separou de seus primos primatas há cerca de um milhão de anos.

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade