Clique e assine com até 75% de desconto

Óleo , olhos de Lorenzo

A doença leva à perda de mielina. Sem ela, o portador pára de se mover, ouvir, falar e respirar. Moser monitorou 104 crianças, durante dez anos.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h54 - Publicado em 31 out 2002, 22h00

Celso Miranda

Um pai fica desesperado ao saber que o filho é portador de uma doença degenerativa e só tem mais dois anos de vida. Contra o ceticismo dos médicos, ele cria um remédio caseiro que salva o garoto, o pequeno Lorenzo. Parece roteiro de filme. E é. Levado ao cinema em 1992, com Nick Nolte no papel do pai, o drama agora chegou a um final feliz. Em setembro, o neurologista Hugo Moser, do Kennedy Krieger Institute, em Baltimore, nos Estados Unidos, divulgou os resultados de uma pesquisa que prova a eficiência do Óleo de Lorenzo (uma mistura dos ácidos oléico e erúcico) no combate à adrenoleucodistrofia (ALD). A doença leva à perda de mielina. Sem ela, o portador pára de se mover, ouvir, falar e respirar. Moser monitorou 104 crianças, durante dez anos.

O estudo mostra que 76% dos 68 meninos que usaram o óleo permanecem saudáveis. Sem ele, uma entre três crianças não desenvolveu o mal. Augusto Odone, que criou o óleo depois de estudar por conta própria várias fontes médicas e científicas, diz que a proteção oferecida pelo remédio, ainda que incompleta, representa o maior avanço no combate à doença até agora. Augusto está, enfim, redimido.

Publicidade