Clique e assine com até 75% de desconto

Sem meteoritos só haveria algas por aqui

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h52 - Publicado em 31 mar 2000, 22h00

Bólidos que caem do espaço assustam, mas, se não fossem eles, você provavelmente seria uma alga unicelular. É o que diz uma equipe de cientistas da Universidade da Califórnia para os quais a queda de meteoritos pode ter sido decisiva para a evolução. Eles chegaram a essa conclusão ao estudar os períodos em que o planeta passou por bombardeios pesados, no passado. Para isso, o grupo analisou os impactos na Lua, considerando que, como os dois mundos estão próximos, o que ocorreu em um deve valer para o outro. A vantagem é que o nosso satélite preservou melhor as marcas do passado. Datando amostras de poeira lunar, os cientistas verificaram que foi num período de bombardeio muito intenso que a evolução deu seu maior salto. Isso foi há 400 milhões de anos, época em que as bactérias e as algas – únicos habitantes do planeta até então – originaram os primeiros animais grandes. “A queda de meteoritos muda o clima”, disse à SUPER o geólogo Paul Renne, um dos autores da teoria. “Isso deve estimular a diversificação das espécies”.

Catástrofes do bem

Queda de meteoritos explica surgimento de organismos complexos.

Entre 4 e 3,5 bilhões de anos atrás.

Um grande número de meteoritos caiu na Terra e na Lua. As primeiras bactérias e algas podem ter surgido na Terra por volta dessa época.

3,5 bilhões de anos atrás.

Os impactos rarearam. Com isso proliferaram seres simples, sem grandes mudanças evolutivas.

Entre 500 e 400 milhões de anos atrás.

O bombardeio cósmico volta a se intensificar. Esse período corresponde à chamada explosão cambriana, em que diversas criaturas complexas se desenvolveram por aqui.

Continua após a publicidade
Publicidade