Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

O que acontece com os dejetos do banheiro do avião depois da descarga?

Veja como o avião lida com suas necessidades – e evita entupimentos durante o voo.

Por Maria Clara Rossini
23 jan 2024, 14h17

Eles ficam em um reservatório, retirado da aeronave após o pouso. Quando você aperta a descarga, uma portinha no fundo do vaso se abre e suas necessidades são sugadas por um sistema de compressão a vácuo – que causa o barulho característico de swoosh. Isso otimiza o espaço no depósito e evita que os excrementos fiquem em contato com o ar, minimizando o fedor.

Antes de chegar ao reservatório, o cocô é triturado. Além de deixá-lo mais compacto, isso evita entupimentos (que, convenhamos, seriam difíceis de lidar a 40 mil pés de altitude). Quando a aeronave está em solo, os funcionários esvaziam o tanque e descartam os dejetos no próprio sistema de esgoto do aeroporto.

Para evitar derrapadas de bicicleta, a superfície interna do vaso é antiaderente – e há um líquido azul que ajuda a jogar os excrementos no buraco e desinfeta a privada: o Skykem, que deixa todo o esgoto azul. A privada de avião como conhecemos hoje foi inventada em 1975 por James Kemper.

Ice, Ice, Baby

“E se os excrementos caírem lá de cima?”. Bom, o banheiro é projetado para que isso não ocorra, mas acidentes acontecem. Quando o esgoto vaza para fora da aeronave, a substância congela com as baixas temperaturas. Esses pedaços de xixi e cocô congelados se parecem com grandes pedras azuis, e geralmente recebem o nome Blue Ice (“gelo azul”, em inglês).

Continua após a publicidade
Pessoas segurando um pedaço do chamado blue ice.
(Times of India/Reprodução/Divulgação)

Há, inclusive, relatos de pessoas e construções que já foram atingidas por Blue Ice. Em 2007, blocos azuis caíram em uma casa em Leicester, no Reino Unido. Moradores da vila de Pakdaha, na Índia, também viram o “gelo” azul cair do céu em 2016.

Compartilhe essa matéria via:

Pergunta de Gustavo Mano, via e-mail

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.