Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.

Olar. É possível empalhar seres humanos?

Oráculo, estava aqui pensando: é possível taxidermizar humanos? Ana Teramatsu, Maringá, PR   VOCÊ. É. BI. ZAR. RA.   É possível taxidermizar seres humanos. “Não tem nenhum problema técnico que impeça isso”, afirma o museólogo e taxidermista Emerson Boaventura. A técnica, conhecida na roça como empalhamento, consiste na conservação do couro do animal, em sua […]

Por Oráculo Atualizado em 21 dez 2016, 08h50 - Publicado em 15 abr 2014, 14h53

Oráculo, estava aqui pensando: é possível taxidermizar humanos?
Ana Teramatsu, Maringá, PR

 

VOCÊ. É. BI. ZAR. RA.

bizarra

 

É possível taxidermizar seres humanos. “Não tem nenhum problema técnico que impeça isso”, afirma o museólogo e taxidermista Emerson Boaventura. A técnica, conhecida na roça como empalhamento, consiste na conservação do couro do animal, em sua forma e tamanho. Ou seja, a pele é retirada do corpo, tratada quimicamente e, depois, colocada em uma manequim, feito geralmente com poliuretano, parecido com um isopor, que serve como um molde. “Dessa forma, qualquer animal vertebrado, inclusive o ser humano, pode ser taxidermizado”, garante Marina Lima, taxidermista do Museu de Zoologia da USP.

Apesar de ser tecnicamente possível, o resultado da taxidermia em humanos pode não ficar tão bom como o de outras espécies de animais. Isso por causa da falta de pelos, que deixa à mostra as modificações feitas na pele. O tratamento do couro para conservar a pele e impedir a criação de bactérias e fungos,  realizado com álcool e borato de sódio, deixa o tecido escurecido, com tom de café. “Em uma onça, por exemplo, você não percebe o escurecimento do couro, porque a pelagem encobre a mudança”, compara Boaventura. Em uma pessoa com pele negra, essa diferença não ficaria tão evidente, mas ainda assim não teria aspecto natural. Outro problema seria encobrir a incisão feita para retirar a pele do corpo. Em animais com bastante pelo, a costura fica sob os pelos. Nos humanos, aparente.

Ou seja…

Continua após a publicidade

Homem_peludo_3

 

O aspecto legal é também outro empecilho para taxidemizar humanos. Segundo Emerson, não há uma regulamentação específica no Brasil para quem quiser ser empalhado, o que dificultaria o processo. No aspecto ético, para a taxidermista Marina Lima, não haveria problema desde que haja autorização prévia em vida, e o cadáver não seja desmoralizado.

Marina lembra ainda que há outras maneiras de conservar o corpo humano:

1) Embalsamamento, que consiste na preservação do corpo, com ossos e músculos por meio de uma técnica que insere no organismo uma solução química contendo formol e outras substâncias, que conservam o corpo e coagulam o sangue, que depois é drenado;

2) Plastinação, que retira os líquidos do corpo e preenche com resinas elásticas;

3) Preservação em meio líquido, muito utilizada nas faculdades de Medicina. “É necessário a autorização em vida do indivíduo para que seu corpo seja utilizado como material científico ou didático”, lembra Marina.

No caso de você ser um broto de musgo congelado na Antártida, o Capitão América ou a cabeça de Charles de Gaulle em Futurama (ou qualquer outra cabeça num aquário), existem outras técnicas possíveis.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês