Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Se Conselho Fosse Bom Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Coluna semanal de perguntas práticas, sentimentais e existenciais enviadas por leitores da SUPER. Por Karin Hueck
Continua após publicidade

Não tenho certeza se o meu crush é gay. Devo investir?

O que fazer quando sua mãe prefere o seu irmão? E como lidar com um crush tímido demais?

Por Karin Hueck Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 9 fev 2017, 17h50 - Publicado em 9 fev 2017, 16h18

Assim que entrei na faculdade me apaixonei por um veterano de lá. Tentei diversas vezes conversar com ele mas o papo nunca fluía. Até que uma amiga “stalker” viu que ele curtia publicações lgbt’s, não sei se ele é homossexual ou simpatizante. Ele parece ser muito tímido. Devo deixar clara a minha vontade de dar algumas bitocas nele? Se sim, qual a melhor forma de fazer isso sem passar vergonha? Ps: Faz dois anos que estou crushando ele.
– Uspiana.
Cara uspiana. O fato de ele curtir publicações LGBTs realmente não quer dizer muita coisa: ele pode ser simpatizante ou representante da sigla B, por exemplo – o que faz com que você tenha chance. Você só vai saber o que ele pensa se for direto ao ponto. Já faz dois anos, afinal. Chame-o para tomar um café ou uma cerveja algum dia e veja o que ele responde. Não tem nada de vergonhoso em demonstrar interesse em alguém. O máximo que pode acontecer é ele deixar claro que não vai rolar – o que vai deixar você livre para partir para a próxima.

 

Fui criada somente pela minha mãe e nunca tive contato com meu pai. Durante muito tempo fui muito apegada a ela, mas fui cortando o cordão umbilical aos poucos, principalmente após a psicoterapia. Atualmente moramos em cidades diferentes e um pouco distantes. Antigamente eu a visitava a cada 15 dias. Contudo, diminui gradativamente as visitas faz uns dois anos e ela cobra minha presença. Parei de ir com frequência por dois motivos: estou em um relacionamento com quem estabeleci uma relação familiar (companheiro, enteado e eu) e porque me irrita ela falar que um dos meus irmãos  é o filho favorito. Brigamos porque ela acha que eu a deixei por causa do meu relacionamento, ao mesmo tempo me sinto rejeitada por causa da preferência. Não sei o que fazer
– A rejeitada
Cara rejeitada,
Sua mãe fica falando o tempo todo que seu irmão é o filho favorito? Se sim, concordo com você que é altamente irritante e entendo você reduzir a convivência. Também não sei a distância que separa vocês – mas, se for grande, visitá-la a cada 15 dias parece um esforço considerável. Ainda assim, vocês podem conversar semanalmente, por exemplo, e marcar de se ver em ocasiões importantes, como feriados ou aniversários. Mas penso que ela tem um pouco de razão quando diz que você sumiu por causa do seu namoro – você mesmo diz que criou um mundo à parte com ele (o que também não é nenhum problema). A não ser que ela tenha algum problema com o seu companheiro, leve ele junto nas suas visitas – afinal, ele faz parte da sua vida e é normal que conviva com a sua família. Mas não perca a chance de, na próxima vez em que a sua mãe falar como o seu irmão é maravilhoso, você dizer: “Mãe, é muito desagradável ouvir isso e me dá vontade de não vir mais te visitar”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.