GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Comércio maluco

Conheça as lojas mais bizarras do mundo

Marcella Chartier

Grande inauguração… de novo!

Onde fica: Nova York

Qual é o barato: A cada 3 meses, a Grand Opening – “Grande Inauguração”, em inglês – muda de ramo. Muda radicalmente: ela já foi galeria de arte, drive-in, brechó, pingue-pongue (com mesas para as pessoas jogarem), loja de móveis e, desde o dia 9 de janeiro, está funcionando como clube de pôquer. A ideia é do designer americano Ben Smyth, que tinha um espaço vago em seu escritório.

Nada de gorjeta

Onde fica: Nuremberg (Alemanha)

Qual é o barato: Um restaurante sem garçons. O cliente escolhe a comida numa tela de computador e o prato vem direto da cozinha, deslizando por trilhos de metal que parecem uma montanha-russa. O cardápio inclui sopa, carne, peixe e um tipo de nhoque alemão (spätzle). Só não dá para devolver o prato se ele vier frio.

Uma caixinha de surpresas (mesmo)

Onde fica: Nova York

Qual é o barato: Você paga US$ 10 e recebe em casa, ou manda de presente a alguém, uma caixa contendo qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo: pode ser uma carteira, um perfume, um brinquedo, um jogo de ferramentas… Essa é a proposta da Something Store, que foi aberta em outubro de 2007 e já vendeu mais de 25 mil objetos.

Oferta do dia

Onde fica: Texas

Qual é o barato: A Woot só vende um produto, que muda todos os dias. Geralmente é um eletrônico, a preços abaixo das lojas convencionais. Chega a faturar US$ 1 milhão por dia, mas, segundo seus criadores, não tem fins lucrativos. A ideia deu tão certo que originou lojas especializadas em camisetas (uma estampa diferente por dia) e vinho (uma garrafa por semana).

É tudo free

Onde fica: Tóquio

Qual é o barato: Uma loja em que você entra, testa os produtos e pode levar 5 deles para casa sem pagar. Sim, esse lugar existe: é a Sample Lab, um laboratório onde vários fabricantes (de comida, equipamentos de ginástica, cosméticos e muitos outros itens) colocam novas mercadorias à disposição dos consumidores – a ideia é que eles apontem eventuais problemas antes do lançamento oficial dos produtos.