GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como dar uma má notícia

O gato subiu no telhado e você tem de avisar o dono. Não fique aí cheio de dedos! A SUPER ensina como contar a tragédia sem deixar traumas

 (Reprodução/Superinteressante)

Evite expectativas

Esqueça frases como “precisamos conversar depois”. Avisos só criam ansiedade na pessoa afetada pela notícia. O mesmo vale para boatos. Nada de fazer tititi com outros antes de abrir o jogo, ou a história pode vazar.

Escolha o cenário

Encontre sua “vítima” em um lugar tranquilo, privado e livre de interrupções, para que a notícia seja apresentada com calma e de uma só vez. Já viu médico dar diagnóstico sério no corredor do hospital?

Mostre consideração

Mantenha a voz alta e clara durante seu discurso – assim você parecerá mais seguro sobre o que está dizendo. E olhe sempre nos olhos da pessoa que recebe a notícia. Ela perceberá que você encara o problema com seriedade.

 

Comunique em 3 atos

Se a tragédia tiver conserto, evite o clima de velório. Abra a conversa com um comentário positivo, jogue a bomba depois e faça um encerramento otimista. Assim, a pessoa perceberá que pode reagir e reverter a situação.

 

Seja todo ouvidos

Deixe que a pessoa descarregue medos e necessidades, para que ela não se sinta tão oprimida pelo infortúnio. Isso também mostrará se a notícia foi compreendida – nem sempre a ficha cai logo de cara.

Conforte

Pense no que a notícia significa para a pessoa – você saberá como se comportar e ajudar. Se vocês forem próximos, tudo bem se emocionarem juntos. Já chefes e médicos têm de ser objetivos e não devem se envolver.

 

Fontes: Ana Cláudia Arantes, coordenadora do Grupo de Dor e Cuidados Paliativos do Hospital Albert Einstein; Fernanda Saboya, chefe da psicologia hospitalar do Copa D’Or; Willian Bull, consultor de recursos humanos da Mercer; Irene Azevedo, consultora de recursos humanos da DBM.