GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como se troca o pneu de um avião?

É simples: basta trocar o macaco por um King Kong e descolar um pouco de nitrogênio

Pilotos habilidosos já pousaram pequenas aeronaves sem trem de pouso e até Boeings gigantescos com problemas nas rodas. Mas para que tanta emoção, não é? O melhor é apostar em manutenção constante. “Depois que uma roda passa 6 vezes pelo check-up obrigatório, ela sempre vai para uma revisão geral”, diz o engenheiro Marcelo Guimarães Fernandes, gerente-geral de hangar e revisão da Gol.

Pneus dianteiros podem ter até 11 recauchutagens antes de ser descartados, mas os traseiros, que sofrem mais impacto pelo peso do avião, apenas 5. Após 100 voos, chega a hora de trocar o pneu – um processo simples para profissionais, mas que requer muita prática e habilidade.

Perca o pneu em 15 minutos!
É quanto os mecânicos precisam para trocar uma roda de avião

 (Redação/Superinteressante)

1. As Preliminares
Não é só estacionar no posto: é preciso isolar a área, calçar as rodas e fechar portas – isso é para evitar que a fuselagem entorte quando o avião é erguido.

 (Redação/Superinteressante)

2. O King Kong
A peça-chave para trocar o pneu do avião é um grande macaco hidráulico chamado de malabar. Primeiro, acionado manualmente, ele é só encaixado na aeronave.

 (Redação/Superinteressante)

3. O grande truque
Uma mangueirinha passa a pressão interna de um pneu para o malabar – é tanta pressão que ele consegue erguer o avião. Com o avião suspenso, é retirado o pneu que não está conectado.

 (Redação/Superinteressante)

4. A grande porca
A porca que segura a roda é solta com a ajuda de um equipamento hidráulico. Recomenda-se tirar a roda com ajuda de um suporte – cada uma delas pesa pelo menos 200 kg.

5. A nova roda
A roda tem de ser colocada ainda com seu pneu desinflado. Com a roda encaixada e presa, o freio é desativado para verificar se ela gira normalmente. Depois, a porca é presa outra vez.

 (Redação/Superinteressante)

6. O novo gás
Com o avião ainda suspenso, o novo pneu é inflado. E não se usa ar comprimido, mas nitrogênio, que não congela na altitude e demora mais a sair do pneu.

Fonte: Renato Gengo, mecânico de avião