Clique e assine a partir de 8,90/mês

Mortes estúpidas: Não siga os exemplos

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h50 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

O site Darwin Awards (www.darwinawards.com) premia aquelas pessoas que mostram que a evolução humana é uma grande balela. Infelizmente, os vencedores não sobrevivem para receber o prêmio. Explica-se: o Darwin Awards condecora as mortes mais estúpidas possíveis. Para concorrer à distinção, a história precisa ser comprovada mediante recorte de jornal, certidão de óbito ou outro documento. Veja algumas:

• O terrorista iraquiano Khay Rahnajet enviou uma carta-bomba, mas não colocou selo suficiente. A carta voltou para o destinatário. E ele abriu.

• No dia 29 de janeiro de 2003, em São Paulo, Manoel Messias Batista Coelho, 35 anos, foi limpar tanques de combustível de alguns caminhões. Como estava escuro, teve a brilhante idéia de acender um fósforo.

• Sylvester Briddell Júnior, 26 anos, morreu ao ganhar uma aposta com seus amigos, que afirmavam que ele não teria coragem de pôr uma pistola na boca e puxar o gatilho. Sylvester provou que, sim, tinha coragem.

• Nick Berrena, 20 anos, foi apunhalado até a morte por Jeffrey Hoffman, 23. Hoffman queria mostrar que uma faca jamais poderia atravessar o colete que Berrena usava. Quando dois estúpidos se unem…

Continua após a publicidade
Publicidade