Clique e Assine por apenas 8,90/mês

Oslo deve ser a primeira capital europeia a banir os carros do centro da cidade

O objetivo da política pública norueguesa é reduzir a poluição. A medida será permanente.

Por Camila Almeida - Atualizado em 31 out 2016, 19h07 - Publicado em 21 out 2015, 15h30

Poluição e engarrafamentos serão problemas do passado para os moradores de Oslo, capital da Noruega. A cidade decidiu banir a circulação de carros permanentemente na região central, conforme divulgado pela Reuters no começo desta semana. A medida está prevista para começar a vigorar em 2019, daqui a quatro anos. 

O centro da cidade livre de carros terá toda a sua atenção voltada para pedestres e ciclistas. O governo local acredita que a medida será benéfica para o comércio e turismo. Até 2019, o município vai construir pelo menos 60 quilômetros de ciclovias e impulsionar os investimentos em transporte público. 

Os carros ainda terão permissão para circular no centro da cidade em situações específicas: para transportar pessoas portadoras de deficiência e para abastecer estabelecimentos comerciais, em momentos específicos para operações de carga e descarga.

Continua após a publicidade

O conselho municipal de Oslo também irá realizar consultas públicas e estudar as experiências de outras cidades, realizando alguns eventos experimentais. A capital norueguesa tem cerca de 600 mil habitantes e quase 350 mil carros. Entretanto, a maioria dos proprietários de automóveis mora em regiões fora do perímetro central. 

Várias capitais europeias já adotam proibições temporárias de carros, como Paris, que começou a testar o modelo em setembro deste ano. Outras cidades como Londres possuem pedágios urbanos para limitar o tráfego de automóveis em seus centros. Madri planeja também banir seus carros completamente, mas até 2020.

Em Milão, os cidadãos que optam por deixar seus carros em casa são beneficiados com vouchers do governo para usar o transporte público. Já em Copenhagen, zonas exclusivas para pedestres já são utilizadas desde a década de 1960.

Publicidade