Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Pesquisadores identificam sete traços de personalidade nos gatos

Compreender o comportamento dos bichanos pode ajudar os tutores a desenvolverem ambientes mais confortáveis de acordo com as necessidades de seus pets.

Por Carolina Fioratti 8 set 2021, 17h28

Quando os pais escolhem presentear seus filhos com cachorros, é comum que eles levem em consideração fatores como tamanho, idade e raça do novo pet. Este último, por sinal, está intimamente ligado com a personalidade do companheiro: o Shih Tzu, por exemplo, é uma raça mais tranquila e pouco brincalhona, enquanto o Golden Retriever tem energia para dar e vender. 

Ao mesmo tempo em que temos muitas informações sobre a personalidade dos cães, pouco se sabe sobre o comportamento dos gatos. Os tutores podem até pensar que os traços de personalidade dos felinos são aleatórios, variando de animal para animal, mas pesquisadores da Universidade de Helsinque, na Finlândia, mostraram que a história não é bem essa. Na verdade, a personalidade destes bichanos pode ser definida em sete diferentes traços que, assim como nos cães, variam de acordo com a raça.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores criaram um questionário com 138 perguntas, que foi publicado no site britânico de bem-estar animal Petsofi e preenchido por donos de gatos. Depois, os cientistas passaram um pente fino nos formulários, excluindo respostas duplicadas, com informações faltando ou com dados que não poderiam ser posteriormente verificados, como a idade dos pets. Restaram, no final, relatórios referentes a 4.316 gatos. O estudo completo foi publicado no periódico científico Animals.

O questionário foi respondido duas vezes, com um intervalo de um a três meses entre os preenchimentos. Com base nas respostas, os pesquisadores conseguiram caracterizar a personalidade dos gatos em cinco traços: o medo, a sociabilidade com humanos, a sociabilidade com outros gatos, a agressividade com humanos e sua tendência a brincadeiras. Somaram-se também duas características comportamentais: os problemas do pet com sua caixa de areia (quando o animal costuma fazer bagunça nessa hora) e sua mania de limpeza excessiva (em que o gato não para de se lamber). 

Após dividir as sete categorias, os cientistas puderam separar algumas raças de gatos de acordo com suas personalidades. Por exemplo, se você pensa em dar um gatinho a uma criança, talvez os Persas não sejam os mais indicados, já que eles se mostraram os menos sociáveis com humanos e também os menos interessados em brincadeiras. Já a raça Turco Van se mostrou a mais agressiva com humanos, enquanto o American Curl ficou no final dessa lista. Agora, se você procura criar mais de um gato, saiba que o Oriental Shorthair é o que se dá melhor com outros bichanos. De acordo com os cientistas, é possível que existam traços genéticos que justifiquem as diferenças de personalidade de cada raça, mas são necessários mais estudos sobre o tema.

Além da separação por raças, os pesquisadores também mostraram as diferentes personalidades dos animais considerando fatores como sexo e idade. As gatas fêmeas, por exemplo, foram tidas como as mais medrosas e menos sociáveis com humanos, enquanto os pets idosos se saíram como os mais agressivos e menos sociáveis com outros gatos. Os bichanos medrosos também possuem maior tendência a se limpar excessivamente, enquanto os mais velhos têm problemas com as caixas de areia. 

Compreender os traços de personalidade dos gatos é essencial para garantir o bem-estar do pet. Um gato mais ativo, por exemplo, precisa de mais estímulos para brincar, assim como gatos mais medrosos serão beneficiados por tutores com estilos de vida mais tranquilos. Nem sempre um animal vai seguir estritamente a personalidade que foi definida para ele no teste, mas ter o conhecimento desses fatores ajuda a pessoa que está pensando em adquirir um bichinho a entender se o ambiente em que vive será apropriado para o seu novo companheiro. 

Continua após a publicidade

Publicidade