Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Pirâmides em tempos de Primavera Árabe

Cairo, Egito: as revistas armadas, o toque de recolher e os perigos de visitar o país em tempos tão conturbados

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h50 - Publicado em 15 set 2014, 22h00

Daniella De Caprio

30°02’N 31°14’L

Tanques e militares armados em frente aos hotéis revistam todos que chegam, conferem passaportes e colocam as malas no raio-X. Nas esquinas de museus e monumentos famosos, guardas armados fazem parte da paisagem. Nos arredores do Museu do Cairo, por exemplo, me perdi em meio a tantos fuzis. Tive espasmos de medo.

Continua após a publicidade

Mas, fora esses riscos, há vantagens em visitar o Egito. O país passa por maus bocados desde 2011, com a eclosão da Primavera Árabe. O presidente Hosni Mubarak caiu após uma ditadura de 30 anos, e a situação continua instável. Por conta disso, visitá-lo é uma experiência diferente do que em tempos de paz. Com as manifestações, os turistas debandaram. Sem filas e sem multidões de pessoas ocupando o enquadramento da sua foto, a viagem pode ficar mais agradável. Fora os preços melhores nos vendedores ambulantes (incluindo os famosos lenços e echarpes de algodão egípcio).

Andar em grupo e com um guia local por perto aumenta a sensação de segurança, embora, se uma manifestação pipocar, possivelmente ela será longe, já que os principais pontos turísticos do Cairo ficam afastados dos locais mais tensos. As pirâmides de Gizé, por exemplo, estão a meia hora do centro. Então dá para curtir a viagem sem maiores contratempos. A não ser que você precise estar no aeroporto de madrugada e um toque de recolher estiver em vigor. Aconteceu comigo. No caminho para pegar o avião, não havia uma alma na rua. Fui parada cinco vezes por policiais, que reviraram toda a mala. Achei que não voltaria para o Brasil. Mas cheguei a salvo, e com uma certeza: é perigoso, mas dá para ir ao Egito hoje, mesmo sendo mulher, mesmo sozinha.

– Não há voos diretos. Faça conexão em Paris ou Amsterdã e dê um pulo na Europa.

 

QUANDO – Julho e agosto para sentir o calor de 40 ºC no Cairo ou maio e outubro para temperaturas mais amenas.

Imagem: gettyimages.com

Continua após a publicidade

Publicidade
Comportamento
Pirâmides em tempos de Primavera Árabe
Cairo, Egito: as revistas armadas, o toque de recolher e os perigos de visitar o país em tempos tão conturbados

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade