Clique e assine a partir de 8,90/mês

Uber e cia vão aniquilar os táxis, diz estudo do MIT

Serviços como o Uberpool podem acabar com 80% da demanda por táxis - e do Uber comum também.

Por Giselle Hirata - Atualizado em 5 jan 2017, 07h50 - Publicado em 4 jan 2017, 19h50

Uma pesquisa sobre mobilidade, conduzida pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts em Nova York, confirmou o que todo mundo já previa: serviços como Uber e Lyft devem substituir o táxi tradicional – principalmente por causa das funções pool.

De acordo com o estudo, com apenas 3.000 veículos seria possível atender a 98% da população de Manhattan e limar 80% da frota de táxis da ilha (de 13,5 mil carros). Para chegar a este resultado, o pesquisadores analisaram viagens feitas de táxi feitas por 3 milhões de usuários entre os dias 5 e 11 de março de 2013. Com um cruzamento de dados, foi feito um mapeamento das corridas.

A conclusão foi: agrupando usuários com o mesmo destino em um carro, como acontece quando se utiliza a função “pool” dos aplicativos, NY poderia funcionar com apenas 20% dos seus táxis. E o melhor: mesmo com mais passageiros, o tempo da corrida não seria comprometido. Cada viagem demoraria só 5 minutos a mais.

A equipe também avaliou outras opções de veículos: 3 mil carros com lugar para 2 pessoas transportaria 94% da população e 2 mil vans para 10 pessoas seriam suficientes para atender 95% da demanda.

Quando a pesquisa foi feita, a ideia de dividir um carro com estranhos soava, digamos, estranha. Hoje não. Já é difícil conhecer alguém que jamais usou o Uber Pool. Em várias cidades grandes, ele já representa mais da metade das viagens realizadas pelo app, já que, dependendo do horário, saem pela metade do preço. Pela simulação do MIT, se a grande maioria das viagens passarem a ser pelo Pool, as corridas individuais se tornarão um mercado de nicho  – não só aquelas feitas nos táxis, mas também as de Uber, de Cabify ou seja lá o app que for. E quanto menos mercado elas tiverem, mais caras se tornarão, já que a oferta de viagens individuais tenderá a cair. Seria o fim de um luxo contemporâneo – o do motorista 100% particular a preço acessível.  Por outro lado, as versões pool dos serviços seguiriam se multiplicando, a ponto de se tornarem uma alternativa com preço baixo o bastante para competir com o transporte coletivo, como já vem acontecendo na vida real.

Continua após a publicidade
Publicidade