Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Vitamina B6 pode te ajudar a lembrar de sonhos depois de acordar

Um novo estudo australiano descobriu que, se tomada em condições específicas, a vitamina também ajuda a não esquecer os sonhos ao longo do dia

Por Ana Carolina Leonardi 22 Maio 2018, 15h37

Já acordou com a impressão desconfortável de que passou a noite inteira em uma aventura mas, ao levantar, não consegue se lembrar de absolutamente nada?

É uma pena: afinal, passamos cerca de um terço da vida dormindo, e os sonhos costumam ajudar nosso cérebro a se preparar para a realidade. Sem contar nas vezes em que você realmente só queria lembrar qual foi o gostinho de viver uma situação surrealista, como voar (ou participar do Casamento Real)…

Bom, a ciência parece ter encontrado um caminho de “vitaminar” (literalmente) a sua memória para sonhos. A Universidade de Adelaide, na Austrália, investigou a maneira co tomar suplemento de vitamina B6 afeta nossas habilidades oníricas.

Durante a pesquisa, 100 pessoas tomaram suplementos logo antes de domir, por 5 dias consecutivos, e fizeram um diário de sonhos, anotando tudo o que lembravam depois de acordar.

Desse grupo, só metade estava ingerindo Vitamina B6 de fato – 240 mg por noite, aliás. As outras 50 pessoas, sem saber, tomavam apenas um placebo antes de ir para a cama.

Continua após a publicidade

Ao final do estudo, os cientistas perceberam que pouca coisa mudou: os sonhos não ficaram mais bizarros, nem mais vívidos ou mais coloridos. Só que ficaram muito mais fáceis de lembrar.

Os participantes que tomaram altas doses de B6 não só se lembraram uma quantidade maior de conteúdo dos sonhos, como também sentiam que as lembranças eram claras e límpidas, ao contrário das memórias de costume, que costumam fragmentar e se perder ao longo de dia.

Vitamina B6 está presente em alimentos: cereais integrais, legumes, verduras como espinafre, frutas (bananas e abacates) além de ovos, derivados de leite e carnes.

Mas é bom lembrar que as doses dos suplementos usados no estudo são 120 vezes maiores que a ingestão diária recomendada para homens jovens (apenas 2 mg). Mulheres grávidas costumam precisar de um pouco mais, mas nada perto de 240 mg. O perigo de hipervitaminose é baixo – sintomas adversos só foram observados acima de 500 vezes a ingestão diária – mas não vale a pena se aventurar na automedicação sem consultar um médico.

  • Para os pesquisadores, o importante da descoberta é que a vitamina B6 pode ser usada, no futuro, para estudos com sonhos lúcidos (saiba tudo sobre eles aqui). Recordar os sonhos é o primeiro passo para controlá-los – e se a psicologia e a neurociência pretendem entender melhor o que acontece durante o fenômeno, os cientistas precisam ser capazes de induzir sonhos lúcidos no laboratório quando quiserem.

    Continua após a publicidade
    Publicidade